Autoridades alertam sobre possíveis ameaças aos EUA após ataque ao Afeganistão

As autoridades federais norte-americanas estão em alerta máximo por ameaças aos Estados Unidos após a evacuação em massa do Afeganistão e o ataque devastador em Cabul nesta semana.

O Departamento de Segurança Interna dos EUA (DHS) está rastreando três ameaças principais – incluindo indivíduos fora do Afeganistão, que estão associados ao grupo Isis-K ou à Al Qaeda, e que poderiam usar o processo de realocação como uma forma de entrar nos EUA, aponta um documento do governo federal sobre aplicação de leis obtido pela CNN.

“Para neutralizar isso, há um amplo processo de triagem e verificação em vigor para aqueles que estão sendo realocados para os Estados Unidos”, disse o chefe de inteligência do DHS, John Cohen, nesta sexta-feira (27).

Um funcionário do FBI disse que, embora não haja inteligência específica sobre organizações terroristas usando a realocação como uma oportunidade, “não podemos descartar que é uma possibilidade.”

Há “um número muito pequeno de indivíduos que foram sinalizados por precaução”, disse um funcionário do National Targeting Center, que parecia estar se referindo a pessoas nos chamados pontos de transferência, como Doha e Qatar.

CNN entrou em contato com o DHS para comentar a situação, incluindo detalhes sobre os indivíduos sinalizados por preocupação.

O processo de realocação

Ao partir de Cabul, os afegãos são enviados a vários locais no exterior, onde fornecem informações biográficas e biométricas e são verificados em bancos de dados dos Estados Unidos.

Uma vez que essas informações são consideradas “verdes”, o que significa que não há informações depreciativas, eles são colocados em voos com destino aos Estados Unidos.

Eles passam por uma triagem adicional assim que chegam aos EUA. Se eles falharem na triagem primária, eles passam por uma triagem secundária, que inclui o apoio do FBI, disse o oficial da Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA, James McCament, na ligação.

“Agora, aqueles que passarem na triagem secundária serão, então, naturalmente puxados para os EUA. Aqueles que não passarem, no entanto, avaliaremos essa opção adicional”, acrescentou.

Não está claro o que aconteceria se alguém não passasse na triagem secundária após pousar nos EUA.

Ameaça doméstica

A segunda ameaça significativa à segurança é se as pessoas já nos EUA, que podem ser inspiradas por narrativas associadas à Al Qaeda, Isis-K ou outros grupos terroristas estrangeiros “, verão os eventos no Afeganistão como uma oportunidade de se envolver em violência aqui em casa “, disse Cohen.

A capacidade de detectar ameaças de extremistas violentos locais representa um desafio para as autoridades porque pode não haver inteligência direta antes de um ato de violência ser cometido.

Supremacistas brancos

A terceira ameaça são os indivíduos que são inspirados ou motivados para a violência com base em sua conexão com uma narrativa extremista violenta doméstica.

Alguns grupos antigovernamentais e de supremacia branca expressaram preocupação em plataformas online de que os afegãos que chegam degradem o controle e a autoridade da raça branca, disse Cohen – o que “pode ​​incitar atividades violentas dirigidas a comunidades de imigrantes, certas comunidades religiosas ou mesmo aqueles que são realocados para os Estados Unidos. ”

Além disso, há narrativas que enquadram as atividades do Talibã como um sucesso, com comentários enfocando possíveis atos de violência dirigidos ao governo dos Estados Unidos, autoridades policiais e outros que são símbolos da estrutura governamental atual.

 

Fonte: CNN

print