Apartamento em Ipanema da ex-presidente Dilma Rousseff é arrombado

O apartamento mantido pela ex-presidente Dilma Rousseff em Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro, foi arrombado. Vizinhos perceberam no sábado (28) que a porta da unidade apresentava sinais de abertura forçada.

O caso foi registrado na 14ª DP (Leblon) por um advogado da ex-presidente, que apresentou uma notícia-crime. Não havia ninguém no local no momento do crime.

O imóvel de três quartos fica em um prédio antigo, localizado a 200 metros da praia, e tem porteiro 24 horas. De acordo com o diretor do Departamento-Geral de Polícia Civil da Capital, o delegado Antenor Martins, a investigação ainda apura as circunstâncias da ocorrência.

O apartamento pertencia havia décadas a Dilma Jane Rousseff, mãe da ex-presidente, que morreu em julho de 2019, aos 95 anos, em Belo Horizonte.

Após o impeachment, em 2016, a petista anunciou que dividiria seu tempo entre Porto Alegre e o Rio de Janeiro, onde ficaria no imóvel da mãe.

Na ocasião, a ex-presidente já estava com domicílio eleitoral em Minas Gerais, estado pelo qual concorreu ao Senado na eleição de 2018. Terminou a disputa na quarta posição, atrás de Rodrigo Pacheco (DEM), Carlos Viana (PHS), Dinis Pinheiro (Solidariedade) e não se elegeu.

Procurada, Dilma decidiu não se manifestar enquanto aguarda as investigações. Fontes próximas à ex-presidente relatam que ela recebeu a informação com surpresa. Principalmente pelo fato de nada ter sido levado da unidade que, embora não esteja ocupada, está mobilhada e é o local onde ela concede entrevistas à imprensa internacional.

Segundo assessores, Dilma não vai ao imóvel desde pelo menos o início do ano passado. Quando o crime ocorreu, estava em Porto Alegre e tomou conhecimento do ato no domingo (29). A ex-presidente foi avisada do episódio por vizinhos.

 

Fonte: CNN

print