Em almoço, ministros de Bolsonaro debatem 7 de Setembro com Eduardo Paes

Os ministros da Casa Civil, Ciro Nogueira, e da Secretaria de Governo, Flavia Arruda, participaram de um almoço no sábado na Gávea Pequena, residência oficial do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes. Segundo fontes que participaram do encontro, as manifestações do dia 7 de setembro foram um dos principais assuntos.

Ciro é presidente licenciado do PP e Flavia Arruda é do PL, os dois principais partidos que dão sustentação política ao presidente Jair Bolsonaro. Eduardo Paes, por sua vez, é do PSD de Gilberto Kassab, que trabalha pela candidatura a presidente de Rodrigo Pacheco em 2022.

Segundo relatos, Ciro ouviu que sua missão de ser o amortecedor do presidente Jair Bolsonaro é impossível e que em algum momento ele acabará desistindo da função e, portanto, do governo. Ciro teria contestado e, apesar de reconhecer as dificuldades, teria declarado que pretende ajudar o governo e que acredita que sua missão de levar estabilidade política dará certo. Flavia Arruda por sua vez teria dito que a busca dela e de Ciro é de tranquilidade embora por vezes pareça ser difícil apostar nisso.

A despeito de parte dos políticos do centrão apostar que uma elevação do tom por parte do presidente no dia 7 de Setembro será determinante para decidirem se ficam ou não na base aliada, o próprio Ciro tem dito a aliados que a data não é determinante na decisão de seu partido de se manter ou não na base aliada. O mesmo vale para o PL de Valdemar da Costa Neto, que controla com Flavia Arruda todo o mapa de emendas e cargos do governo federal.
A própria operação política desencadeada pelo presidente da Câmara, Arthur Lira, nesta segunda-feira em desmobilizar o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, de apoiar um manifesto do setor privado pela estabilidade política. O argumento central de Lira com Skaf, segundo interlocutores de ambos, foi o de que é preciso dar o benefício da dúvida ao presidente para o 7 de Setembro, e não condenar de antemão uma manifestação que ainda não ocorreu. Ciro, porém, não deverá participar das manifestações.

Procurado, Paes confirmou o encontro e disse que foi um “almoço em homenagem ao Ciro, com clima ameno e que simboliza o Rio retomando protagonismo”.

Fonte: CNN
print