Em investigação sobre Carlos, Justiça quebra sigilo de ex-mulher de Bolsonaro

A Justiça do Rio quebrou o sigilo bancário e fiscal de Ana Cristina Siqueira Valle no âmbito das investigações sobre suspeita de contratações de funcionários fantasmas e prática de “rachadinha” no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro (Patriota-RJ).

O nome dela, que é a segunda ex-esposa do presidente Jair Bolsonaro, aparece na mesma decisão judicial que afastou os sigilos financeiros do vereador, confirmada pela CNN nessa terça-feira (31).

A irmã dela, Andrea Valle, que foi investigada no caso das rachadinhas do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) teve seus sigilos bancário e fiscal quebrados pela segunda vez. A decisão é do dia 24 de maio e está sob sigilo.

O Ministério Público do Rio investiga se Ana Cristina Valle integrava um suposto esquema de recolhimento dos salários de funcionários do gabinete de Carlos Bolsonaro.

A apuração está estruturada em torno de seis supostos núcleos que integrariam um esquema de repasse de salários. Ana é mãe de Jair Renan, quarto filho do presidente Jair Bolsonaro.

Vários parentes de Ana Cristina Valle, de Resende, no Sul do Rio de Janeiro, também foram nomeados no gabinete de Carlos Bolsonaro durante seus mandatos como vereador.

A ex-esposa do presidente Jair Bolsonaro faz parte da primeira leva de nomeações: o registro da Câmara de Vereadores indica que ela foi nomeada chefe de gabinete de Carlos no dia 4 de janeiro de 2001, nos primeiros dias de mandato – hoje o vereador está em sua sexta legislatura. Ela foi exonerada do cargo sete anos depois, em 2008.

Apesar de já ter aparecido na investigação sobre as suspeitas de rachadinha no caso do senador Flávio Bolsonaro, Ana Cristina Valle não tinha tido seus sigilos bancário e fiscal quebrados. Agora, o MP vê elementos que a colocam como parte importante da investigação sobre a suspeita que há sobre o gabinete do vereador Carlos Bolsonaro.

Em nota, a defesa da segunda ex-esposa do presidente Jair Bolsonaro afirmou que “repudia o vazamento de informações”.

“A defesa de Ana Cristina Siqueira Valle informa que apenas se manifestará nos autos do processo uma vez que o mesmo tramita em segredo de justiça. No entanto, não podemos deixar de repudiar o vazamento de informações, prática esta que tem se tornando cada vez mais frequente”.

Já o vereador Carlos Bolsonaro afirmou, em suas redes sociais, que os inexistem fatos novos. “Na falta de fatos novos, requentam os velhos que obviamente não chegaram a lugar nenhum e trocam a embalagem para empurrar adiante a narrativa. Aos perdedores, frustrados por não ser o que sempre foram, restou apenas manipular e mentir. É o que mais acusam e o que mais fazem!”.

A defesa informou que irá requerer acesso aos autos do caso.

A CNN tentou contato com Andrea Valle, que teve seus sigilos quebrados pela segunda vez, mas ela não atendeu aos contatos da reportagem.

 

Fonte: CNN

print