El Salvador se torna o primeiro país a adotar bitcoins como moeda oficial

El Salvador se tornou nesta terça-feira (7) o primeiro país a adotar bitcoins como moeda legal, um experimento que divide a opinião de especialistas.

De um lado, proponentes dizem que reduzirá os custos de comissão para bilhões de dólares enviados do exterior.

De outro, críticos da mudança alertam que a adoção do bitcoin pode alimentar a lavagem de dinheiro.

A mudança significa que as empresas devem aceitar o pagamento em bitcoin junto com o dólar americano, que tem sido a moeda oficial de El Salvador desde 2001 e permanecerá com curso legal.

O presidente Nayib Bukele, que tem pressionado pela adoção da criptomoeda, diz que isso ajudará os salvadorenhos a economizar cerca de US$ 400 milhões que o governo calcula serem gastos anualmente em comissões para remessas.

O presidente de 40 anos é popular entre o público, mas foi acusado de erodir a democracia do país, inclusive pelo governo Biden dos Estados Unidos.

Os que duvidam dizem que o bitcoin pode aumentar os riscos regulatórios e financeiros para o país, e as pesquisas mostram que os salvadorenhos estão preocupados com a volatilidade da criptomoeda, que pode perder centenas de dólares em valor por dia.

Para o público cético, Bukele prometeu a todos os cidadãos US$ 30 em bitcoin se eles assinassem uma carteira digital do governo.

Antes do lançamento, El Salvador comprou 200 bitcoins, disse Bukele, ajudando a elevar o preço da moeda acima de US$ 52.000 pela primeira vez desde maio.

Na madrugada desta terça-feira, a carteira não havia aparecido nas plataformas de download de aplicativos da Apple Inc., Google e Huawei, no entanto, gerando uma série de tweets de Bukele, incluindo um com um emoticon vermelho de “raiva”.

A carteira foi posteriormente disponibilizada pela Huawei. Alguns cidadãos estão otimistas.

“Vai ser benéfico… temos família nos Estados Unidos e eles podem enviar dinheiro sem custo, enquanto os bancos cobram”, disse Reina Isabel Aguilar, dona de uma loja na praia de El Zonte, cerca de 49 quilômetros a sudoeste da capital San Salvador.

Caixas eletrônicos converterão bitcoin por dólares

Conhecida como Praia Bitcoin, a cidade de El Zonte pretende se tornar uma das primeiras economias bitcoin do mundo.

Antes do lançamento, o governo instalou caixas eletrônicos que permitirão que o bitcoin seja convertido em dólares e retirado sem comissão da carteira digital chamada Chivo.

Nesta segunda-feira (6), Bukele procurou moderar as expectativas por resultados rápidos e pediu paciência.

“Como todas as inovações, o processo de bitcoin de El Salvador tem uma curva de aprendizado. Cada caminho para o futuro é assim e nem tudo será alcançado em um dia ou mês”, disse ele no Twitter.

Volatilidade e possibilidade de lavagem de dinheiro causam medo

A criptomoeda tem sido notoriamente volátil, subindo para mais de US$ 64.000 em abril e caindo quase US$ 30.000 em maio deste ano.

O movimento para dar curso legal ao bitcoin ao lado do dólar americano turvou as perspectivas para a busca de El Salvador por mais de US$ 1 bilhão em financiamento do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Analistas temem que a adoção da criptomoeda possa alimentar a lavagem de dinheiro em um país com sérios problemas de corrupção governamental e crime organizado.

Bukele prometeu limpar a corrupção, mas o governo Biden recentemente colocou alguns de seus aliados próximos em uma lista negra de corrupção.

Em apenas dois anos no cargo, ele assumiu o controle de quase todas os níveis de poder.

Na semana passada, os principais juízes indicados por seus aliados decidiram que ele poderia cumprir um segundo mandato.

Moody’s rebaixa crédito de El Salvador

Depois que a lei do bitcoin foi aprovada, a agência de classificação Moody’s rebaixou a qualidade de crédito de El Salvador, enquanto os títulos do país denominados em dólares também ficaram sob pressão.

Mas Bukele, que não foge da polêmica, retuitou nesta segunda um vídeo que mostrava seu rosto sobreposto ao ator Jaime Foxx em uma cena de ‘Django Unchained’, filme de Quentin Tarantino sobre a escravidão americana.

O vídeo mostrava Bukele chicoteando um traficante de escravos que tinha o emblema do FMI estampado no rosto. Mais tarde, Bukele apagou o retuíte.

Em seu próprio tweet, Bukele disse: “Devemos quebrar os paradigmas do passado. El Salvador tem o direito de avançar para o primeiro mundo.”

 

Fonte: CNN

print