Reunião entre clubes e CBF hoje pode determinar a volta do público aos estádios de futebol

Com um convite surpresa no último final de semana, os clubes das três primeiras divisões do futebol nacional se preparam hoje para uma reunião com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Marcada para às 12h (horário de Brasília) o grande assunto será a volta da torcida aos estádios de futebol, o que já vem acontecendo com partidas isoladas, como no caso das fases finais da Libertadores e Sul-Americana e alguns duelos envolvendo seleções, como teria 1,5 mil convidados na partida entre Brasil e Argentina no último domingo, em São Paulo.

Com a vacinação em alta no país, os números de mortos em queda, assim como o de infectados, os clubes defendem a volta da torcida. Com portões fechados, as equipes desde março de 2020 não contam com essa renda. Apesar do desejo, os municípios precisam concordar e não será liberado 100% logo de cara, caso aprovado. Em Goiânia, Atlético Goianiense, Goiás e Vila Nova esperam contar com ao menos 30% da capacidade de seus estádios, todos estão utilizando os estádios próprios e não o Serra Dourada, que se torna uma alternativa por ter uma lotação maior, mas não recebe um jogo oficial desde dezembro de 2019 e precisa de reformas.

A votação será entre os clubes e a maioria vai estabelecer o retorno ou não do público. Entre eles, um acordo já de algumas semanas de que todos voltariam no mesmo momento para que não tenha vantagens, apesar disso o Cruzeiro vem se aproveitando da liberação do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) para receber seus torcedores no Mineirão.

Com esse acordo, verbal, entre os clubes de apenas retornarem com a aprovação de todos os estados, duas situações podem comprometer essa reunião. O estado de São Paulo, através do governador João Dória, havia anunciado a volta da torcida apenas em novembro, enquanto o estado de Santa Catarina preferiu optar por outubro. Caso contornado, a volta do público fica eminente. Na última sexta-feira (3), o Rio Grande do Sul publicou decreto que libera retorno de público aos estádios. O texto fala que deverão ser seguidos protocolos e o limite por partida é de 2,5 mil pessoas.

Ontem, no Rio de Janeiro, a Prefeitura liberou público no Maracanã a partir do dia 15 de setembro, ou seja, na quarta-feira da próxima semana. O pedido partiu do Flamengo para que aconteça a partir do duelo com o Grêmio, pela Copa do Brasil. Serão três jogos, que servirão como eventos-teste, e que permitirão ocupação de 35% a 50% da capacidade do estádio. A decisão consta em nota técnica assinada na última segunda-feira pelo Secretário de Saúde, Daniel Soranz.

A intenção da CBF seria contar com o retorno do público já neste final de semana, no início do segundo turno do Campeonato Brasileiro da Série A. Se autorizado, o Atlético Goianiense já pode contar com torcida neste domingo (12), às 18h15, contra o Corinthians, no Antônio Accioly. O acordo com a prefeitura de Goiânia já está alinhado e o estádio conta com a capacidade de 12.500 torcedores, sendo assim, caso consiga os 30% desejados, o Accioly poderia receber até 3.750 atleticanos.

O último duelo, oficial, no estado de Goiás com público aconteceu no dia 11 de março de 2020, quando o Atlético Goianiense venceu o São José-RS por 2 a 0 no jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil. Dias depois, 14 e 15, houve uma rodada do Campeonato Goiano já com portões fechados e na sequência o torneio foi paralisado.

 

Fonte: O Hoje

print