Ex-prefeito de Luziânia é alvo de nova ação do Ministério Público de Goiás

O Ministério Público de Goiás (MPGO) propôs uma nova ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra o ex-prefeito de Luziânia Cristóvão Vaz Tormin, além da ex-vereadora Gleide Ribeiro de Sá Alves e sua irmã, Geise Ribeiro de Sá. Acusados de nepotismo, eles terão bens bloqueados no valor total de R$ 4.604.221,95.

A investigação pela 6ª Promotoria de Justiça de Luziânia teve início em 2018, constatando mais de uma centena de casos de nepotismo envolvendo o ex-prefeito, vereadores e secretários.

A prática de nepotismo foi constatada pelo MP pela nomeação em cargo comissionado de Geise de Sá, irmã da ex-vereadora, que também foi assessora do ex-prefeito Cristóvão Tormin, e é sua aliada.

O MP sustentou a existência do favorecimento por vínculo político entre os acionados. Apontou ainda desvio de finalidade e violação aos princípios constitucionais, por falta de processo seletivo isonômico.

 

Fonte: O Hoje

print