Índia autoriza uso emergencial da vacina Covaxin em crianças a partir de 2 anos

A Índia aprovou, nesta terça-feira (12), o uso emergencial da vacina Covaxin, da Bharat Biotech, em crianças a partir dos 2 anos de idade.

Com isso, a fabricante é a primeira no país a obter tal aprovação após uma revisão de seus dados de ensaio para a faixa etária de 2 a 18 anos.

A decisão vem no momento em que a Índia muda seu foco para a vacinação de crianças contra o coronavírus, tendo já distribuído mais de 950 milhões de doses para adultos em uma população de quase 1,4 bilhão de pessoas.

A Covaxin, da Bharat Biotech, que usa um coronavírus inativado com um reforço da imunidade, está entre as três vacinas que estão sendo usadas na Índia como parte da campanha de vacinação para adultos.

Mais de 110 milhões de doses de Covaxin foram administradas, e a empresa está em processo de entrar na lista de vacinas aprovadas para uso emergencial da Organização Mundial de Saúde (OMS), uma decisão que é esperada até o final deste mês.

Sem a aprovação da OMS, o imunizante de duas doses provavelmente não será aceito como uma vacina válida em todo o mundo.

“Crianças com comorbidades devem ser vacinadas o mais rápido possível, agora que uma vacina com imunogenicidade em crianças e um grande banco de dados de segurança em adultos está disponível”, disse o Dr. Gagandeep Kang, professor do Christian Medical College, em Vellore.

“Para crianças saudáveis, devido ao baixo risco e à baixa circulação do vírus no momento, é seguro esperar até que mais adultos estejam vacinados”.

A Bharat Biotech iniciou testes da Covaxin em crianças em junho, após uma segunda onda devastadora da Covid-19, liderada pela variante Delta, colocar o sistema de saúde do país de joelhos.

Os dados para a faixa etária de 2 a 18 anos “foram completamente revisados ​​pela Central Drugs Standard Control Organization [CDSCO, órgão regulador indiano], e foram oferecidas recomendações positivas”, disse a empresa à Reuters.

A Bharat Biotech não compartilhou publicamente os dados de eficácia e segurança para crianças.

Até agora, apenas a vacina baseada em DNA da farmacêutica Zydus Cadila foi autorizada para uso de emergência em crianças com pelo menos 12 anos.

 

Fonte: CNN

print