Emocionado com torcida do Flamengo, Jorge Jesus admite que voltaria ao clube

Os gritos de “olê, olê, olê, Mister, Mister…”, no fim do jogo que decretou a eliminação do Flamengo na semifinal da Copa do Brasil, com derrota por 3 a 0 para o Athletico-PR, quarta-feira (27), mexeram com o português Jorge Jesus. Com passagem extremamente vitoriosa no clube carioca, o comandante do Benfica deixou no ar a possibilidade de um retorno ao Rio, em coletiva nesta sexta-feira (29), em Lisboa.

A passagem do “Mister” pelo Flamengo foi bastante vitoriosa entre 2019 e o começo de 2020. O treinador dirigiu a equipe em 57 oportunidades, com 43 vitórias, 10 empates e somente quatro derrotas. Ergueu cinco taças: Brasileirão e Copa Libertadores, em 2019, Carioca, Supercopa do Brasil e Recopa Sul-Americana, em 2020. Perdeu a final do Mundial em jogo muito parelho com o Liverpool e 1 a 0 contra apenas nos minutos finais.

Com o crescimento da pandemia de covid-19 no começo de 2020, ele retornou a Portugal para ficar mais próximo dos familiares, mas jamais foi esquecido pelos rubro-negros e virou um “fantasma” para os sucessores. Rogério Ceni sofreu e agora é Renato Gaúcho quem vê a torcida pedir a volta do português a cada tropeço do Flamengo, como na quarta-feira em pleno Maracanã.

“Se fico satisfeito a ver um clube do qual eu já saí me dar carinho? Foram imagens que me tocaram. Não sei o meu futuro, o meu contrato termina no final do ano e a minha mala está sempre feita à porta. Um treinador vive dos resultados”, afirmou Jorge Jesus, sem esconder que, caso haja alguma coisa, seria apenas depois de honrar o compromisso com o time português. “Neste momento o Benfica é a minha casa.”

Renato Gaúcho passa por momento de instabilidade no Flamengo, mas em nenhum momento do cogitada a sua saída por parte dos dirigentes, que até teriam recusado uma possível entrega do cargo. Com a final da Libertadores no dia 27 de novembro, no estádio Centenário de Montevidéu, no Uruguai, contra o Palmeiras, pela frente, o técnico terá nesta decisão a chance de redenção.

Até lá, precisa somar resultados melhores no Brasileirão, a começar neste sábado (30), às 19 horas, diante do líder Atlético-MG, no Maracanã. Com dois jogos a menos, a equipe ainda não abriu mão do tricampeonato nacional seguido.

Fonte: Mais Goiás.

print