Câmara de Goiânia pode pagar R$ 2 milhões para melhorar imagem do Legislativo com publicidade

A Câmara Municipal de Goiânia quer contratar agência de publicidade para melhorar a imagem do Legislativo com o público. O certame será realizado no próximo dia 18 de novembro e visa a contratação de duas empresas para realização do serviço. O valor do contrato é de R$ 2 milhões.

A campanha deverá ter duração de no máximo 60 dias, no período a ser definido pela casa, com público-alvo de moradores de Goiânia acima de 16 anos. A justificativa é atender ao “princípio da Publicidade e ao direito à informação, de difundir ideias, princípios, iniciativas  ou instituições ou de informar o público em geral”.

Contrato de publicidade também tem objetivo de combater o “descrédito” da classe política

A Câmara Municipal ainda justifica a contratação já que ampliações no quadro de servidores efetivos e reorganização administrativa são sempre recebidas e retratadas como “mero fisiologismo e clientelismo”.

“Essa percepção é reforçada pelo crescente quadro de descrédito experimentado pela classe política, em especial os integrantes do Poder Legislativo”, diz o texto do edital publicado no portal da transparência.

Outra ponderação feita na justificativa é a citação de uma pesquisa coordenada em 2016 pelo professor Pedro Santos Mundim, da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás (UFG). Segundo o documento, a Câmara Municipal de Goiânia ocupa a 7ª posição de confiança entre oito instituições pesquisadas.

Criação de novos cargos na Câmara Municipal de Goiânia

É bom lembrar que em meados de outubro, os vereadores aprovaram a ampliação de verbas de gabinetes de R$ 62 mil para R$ 78 mil na Câmara Municipal de Goiânia em segunda votação. Emenda no projeto permitiu também a criação de 253 cargos comissionados, com impacto de R$ 975 mil por mês no orçamento.

O projeto principal aumenta verba de gabinete dos vereadores dos atuais R$ 62 mil para R$ 78 mil, o que representa incremento de 25%. O reajuste prevê cobrir despesas com pessoal com mais flexibilidade do que ocorre hoje. Proposta é semelhante ao modelo adotado pela Assembleia Legislativa de Goiás.

Assim, gabinetes dos 35 vereadores poderão contratar servidores comissionados com salários que vão de R$ 1,8 mil, para Função Parlamentar VII, a R$ 8,8 mil, para chefe de gabinete.

Fonte: Mais Goiás.

print