“Meu ganha pão a vida inteira”, lamenta dono de oficina que pegou fogo no Parque Atheneu

Ainda anestesiado pela notícia de que a sua oficina mecânica (localizada no parque Atheneu, em Goiânia), pegou fogo na madrugada desta sexta (5), o dono do estabelecimento, Adilson Alves de Souza, diz ao Mais Goiás que as cinzas são o que sobraram de anos de trabalho, suor e esforço. “Estou muito abalado. Perdemos tudo, essa oficina foi meu ganha pão a vida inteira”. Adilson estima prejuízo de R$ 300 mil. A família não tinha seguro e não faz a menor ideia a respeito de como vai se reerguer.

Ao Corpo de Bombeiros, um vizinho disse ter ouvido o barulho de um estouro por volta das 4h, seguido de muita fumaça. As chamas se espalharam depressa e comprometeram grande parte da estrutura da oficina. O carro de um cliente, que estava dentro do estabelecimento, também ficou destruído pelo fogo.

Além dos danos materiais, a família quase viveu uma outra tragédia. O filho de Adilson estava dormindo com a namorada e um cadela, nos fundos da oficina. Eles conseguiram escapar depois que fizeram um buraco no muro, sem ferimentos. “Eles foram muito espertos. Pegaram uma marreta, quebraram o muro e saíram no vizinho do lado. Pela frente seria impossível porque já estava tomada por chamas”, explicou o capitão dos bombeiros, Wesley Pereira Barbosa.

Segundo os bombeiros, ainda não há um laudo que comprove o que provocou o incêndio. Mas, Adilson acredita as chamas começaram depois de uma pane elétrica. Ele conta que pensava em ampliar o local. Mas, que todos os planos mudaram, agora que perdeu o sustento da casa.

“A gente queria aumentar ela, porque a família inteira depende dessa renda. Estou passando muito mal desde que tudo aconteceu. A gente ainda não sabe o que vai fazer, vamos precisar de todo tipo de ajuda e, claro, muito esforço”, disse o dono.

A fim de conseguir a verba para reconstruir a oficina mecânica, Adilson e a família fizeram uma vakinha online. Nela, esperam arrecadar pelo menos R$ 50 mil, para reformas e custos com os prejuízos causados pelo incêndio.

“Um ponto que lutei e batalhei com todas as minhas forças para construir em 21 anos. Foram lágrimas de sangue, para acabar desta maneira. Me ajudem se vocês puderem, toda quantia é bem-vinda!”, diz ele.

Fonte: Mais Goiás.

print