PF investiga fraude em 1.975 aposentadorias rurais no Piauí

A Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Bússola nesta terça-feira (9) contra uma suposta organização criminosa que frauda benefícios de aposentadorias rurais no Piauí. Até o momento, 34 pessoas foram presas no âmbito da operação.

Ao todo, 200 agentes cumprem 16 mandados de prisão preventiva, 23 de prisão temporária e 57 de busca e apreensão. Entre os investigados estão oito servidores do INSS, 17 advogados e 14 intermediários dos Estados do Piauí e do Maranhão.

De acordo com as investigações, o grupo falsificava documentos e conseguia receber benefícios de aposentadorias rurais por idade. A justiça federal já determinou a imediata suspensão de 160 aposentadorias e a revisão de outros 1.975. De acordo com a PF, a medida vai evitar um prejuízo de R$ 623 milhões aos cofres públicos.

De acordo com a corporação, a investigação que culminou na operação Bússola teve início em 2020 e foi desenvolvida no âmbito da Força Tarefa Previdenciária e Trabalhista no Piauí, integrada pela PF e pela Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista da Secretaria Executiva do Ministério do Trabalho e Previdência (CGINT/MTP).

O nome da operação, Bússola, faz referência ‘ao direcionamento indevido dos requerimentos de benefícios protocolados pelos advogados/intermediários aos servidores concessores do grupo criminoso’, afirma a PF.

Com informações de Estadão Conteúdo

Fonte: Mais Goiás.
print