Congresso monta comissão para apurar demissões no Inep e convoca CGU

O Congresso Nacional vai montar uma comissão mista de deputados e senadores para apurar a saída de 37 funcionários do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o Inep.

O órgão é o responsável por organizar o Exame Nacional de Ensino Médio, o Enem, que está sob suspeita de ter tido perguntas censuradas pelo governo.

A comissão pretende chamar os servidores exonerados para prestar depoimentos que esclareçam se, de fato, o que parte deles alega – que houve intromissão no governo na elaboração das questões – ocorreu.

“O mais urgente agora é a realização da prova. A comissão deve acompanhar no Inep se está organizado, se as provas estão seguras, se já estão entregues porque tinha reclamação que não tinha chegado ainda. Mas também queremos ouvir os servidores que foram exonerados para apurar eventual interferência na elaboração das questões”, disse a CNN a presidente da Comissão de Educação da Câmara, deputada Professora Dorinha (DEM-TO).

“É importante apurar se houve algum tipo de controle em cima da prova, de ter mexido, tirado ou colocado questões porque a elaboração da prova precisa ser técnica”, completou.

Pelo Senado, quem irá coordenar os trabalhos é o senador Izalci Lucas, do PSDB do Distrito Federal. Na Câmara, ficará com a deputada Rosa Neide do PT do Mato Grosso.

Uma outra ação do Congresso é um pedido para que a Controladoria-geral da União acompanhe as denúncias do Inep. Um requerimento extra pauta foi aprovado hoje pela comissão de educação da Câmara.

Além disso, também ficou acertado que o ministro Wagner Rosário compareça no dia 1 de dezembro ao Congresso para falar sobre o assunto.

 

 

 

Fonte: CNN Brasil.

print