Suspeitos de tráfico morrem em confrontos com equipes da PM

Armas de fogo e porções de maconha e cocaína foram apreendidas pela Polícia Militar na quinta-feira (18), após confrontos que terminaram com as mortes de dois suspeitos de tráfico de drogas na região metropolitana de Goiânia. Nos dois casos, os policiais chegaram até os suspeitos após receberem denúncias anônimas, feitas pelo WhastApp.

O primeiro caso foi registrado em um condomínio de prédios que fica na Avenida Maria Luiza das Dores, no Bairro Independência Mansões, em Aparecida de Goiânia. Quando bateram na porta de um apartamento para averiguar uma denúncia anônima, militares do 45º BPM teriam sido recebidos com tiros de revólver calibre 38, disparados pelo morador.

No revide, o suspeito foi baleado e morreu antes mesmo da chegada do socorro médico. Dentro do apartamento dele, os policiais encontraram quatro peças de maconha, uma porção grande de cocaína, e uma balança de precisão.

Já em Goiânia, equipes do Batalhão de Choque confrontaram, no Setor Shanrgi-lá, com um homem que levava nove peças de maconha dentro de um carro. Carga pesa cerca de 14 quilos. Um revólver calibre 38 também foi apreendido.

Baleados já possuíam vários antecedentes criminais
Apesar de não divulgar nomes, nem idades dos dois mortos nas trocas de tiros registradas ontem, a PM afirmou que ambos já ostentavam inúmeros antecedentes criminais. O que morreu em Aparecida de Goiânia, de acordo com a corporação, era monitorado por tornozeleira eletrônica e respondia por homicídio, porte ilegal de arma de fogo, receptação e aliciamento de menores.

Furto, tráfico de drogas, roubo e até o assassinato de um PM em 2013, segundo a polícia, constavam na ficha do suspeito que também acabou morto após o confronto ocorrido em Goiânia.

Já em Goiânia, equipes do Batalhão de Choque confrontaram, no Setor Shanrgi-lá, com um homem que levava nove peças de maconha dentro de um carro. Carga pesa cerca de 14 quilos. Um revólver calibre 38 também foi apreendido.

Baleados já possuíam vários antecedentes criminais
Apesar de não divulgar nomes, nem idades dos dois mortos nas trocas de tiros registradas ontem, a PM afirmou que ambos já ostentavam inúmeros antecedentes criminais. O que morreu em Aparecida de Goiânia, de acordo com a corporação, era monitorado por tornozeleira eletrônica e respondia por homicídio, porte ilegal de arma de fogo, receptação e aliciamento de menores.

Furto, tráfico de drogas, roubo e até o assassinato de um PM em 2013, segundo a polícia, constavam na ficha do suspeito que também acabou morto após o confronto ocorrido em Goiânia.

 

Fonte: Mais Goiás.

print