TSE alerta para quantidade de título eleitorais irregulares

Nas eleições de 2020, quase um terço dos eleitores habilitados a votar não compareceram às urnas no primeiro turno. Pode-se alegar que em meio a uma pandemia (em outubro de 2020, a Covid-19 já havia matado 170 mil brasileiros) 29,5% de eleitores/as tiveram receio de aglomerações ou por medo de passar ou com medo de pegar a Covid-19. Num país onde o voto é obrigatório é uma decisão individual que afeta o coletivo como um todo.

De acordo com a Agência Senado, em alguns municípios o número de eleitores que não compareceram às urnas ultrapassou 40%! A abstenção em colégios eleitorais como nas grandes capitais como São Paulo (30,8%), Rio de Janeiro (35,4%) e médios colégios eleitorais como Porto Alegre (32,8%), Goiânia (36,7%), Aracaju (27,8%) e cidades como Petrópolis (35,6%), Ribeirão Preto (35,6%), Blumenau (31%), Joinville (28%) contribuíram para elevar a média nacional.

Dados do Tribunal Regional Eleitoral mostram que em Goiás 580 mil títulos estão em situação irregular. Desse total, 180 mil tiveram seus títulos de eleitor cancelados.

O Cadastro Nacional de Eleitores fechará no dia 4 de maio de 2022. Ou seja, até lá será preciso convencer os eleitores a regularizar o título e a importância de votar consciente.

 

 

Fonte: Jornal Opção.  

print