Idosa acorda após ter sido dada como morta e surpreende família em organização de velório; entenda

Uma idosa de 78 anos, chamada Clotilde Rieck, acordou após ser dada como morta durante a preparação do velório, em Cidreira, no litoral do Rio Grande do Sul. Um dos funcionários da funerária, que preparava o corpo de Clotilde, fez uma ligação para a família dizendo que a idosa estava viva.

Ao G1, Bianca Schneider, sobrinha-neta da idosa, contou que a família estava em casa organizando o velório quando o funcionário da funerária ligou dando a notícia. A família explicou também que a morte de Clotilde havia sido confirmada após a idosa sofrer duas paradas cardíacas.

Segundo Bianca, na funerária, o funcionário percebeu que Clotilde estava viva quando foi retirar o corpo do necrotério. “Quando ele descobriu o corpo para fazer a remoção dela, ela estava viva, com o braço erguido, o olho aberto e pedindo ajuda”, explicou.

Além disso, o funcionário pediu ajuda no posto de saúde, uma vez que a paciente estava com o coração batendo e ofegante. De acordo com Bianca, a idosa quase foi enterrada viva, mas devido a um problema com o tamanho do caixão escolhido, o processo demorou mais que o normal. “Se tivesse o caixão do tamanho dela certinho, nós teríamos enterrado ela viva. Graças a Deus, teve esse tempo”, relatou aliviada.

De acordo com o portal do Hugo Gloss, a prefeitura da cidade emitiu uma nota confirmando a investigação do caso e responsabilidade dos profissionais de saúde envolvidos. “Foi registrado também um boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia Civil de Cidreira e exigido que a empresa contratada afaste a profissional dos serviços prestados em nosso município”, diz o comunicado.

A coordenadora do postinho, Irene Mendes, confirmou a nota da prefeitura e que é uma coisa inédita no município. “Realmente, é uma coisa inédita aqui para o nosso município. Nunca passamos por uma situação como essa. Nós estamos tomando providências, vamos abrir um processo administrativo e solicitamos o afastamento imediato da médica”.

Conforma defesa da médica, a profissional utilizou “todos os meios de tratamento e todas as manobras de ressuscitação cardiopulmonar disponíveis no Posto de Saúde 24 horas Eva Dias de Melo, na cidade de Cidreira/RS, especialmente no dia 31/12/2021” para reanimar a paciente.

Em nota ao G1, os advogados afirmaram que a médica não recebeu contato da prefeitura para esclarecimentos sobre o caso e não foi comunicada sobre o afastamento. “Todas as medidas cabíveis estão sendo tomadas para os devidos esclarecimentos dos fatos e demonstração da boa conduta médica adotada”.

Dona Clotilde foi informada do ocorrido na última sexta-feira (8/1) e, segundo Bianca, ela ficou “perplexa”. Desde o último dia 31, a idosa está internada na Santa Casa de Porto Alegre e, de acordo com a sobrinha-neta, está em um quarto, respirando normalmente e evoluindo bem aos tratamentos.

Fonte: O Hoje

print