Vídeo: enchente atinge pontos turísticos e ruas de Pirenópolis (GO)

As chuvas intensas que têm atingido Goiás nos últimos dias também atingiu a cidade turística de Pirenópolis, a cerca de 130 quilômetros da capital goiana. As cenas são de alagamentos na região.

O Rio das Almas, que corta o centro histórico, aumentou seu nível nesta terça-feira (11/1) e está assustando moradores. As águas já chegaram até a Rua do Lazer, uma das principais da cidade, conhecida por seus bares e restaurantes.

Vídeos compartilhados nas redes sociais também mostram pontos alagados em estradas de terra. Em algumas áreas, a água chegou a cobrir pontes, impossibilitando a passagem de veículos. Também houve cheia na cachoeira do Abade.

Veja vídeos:

A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil emitiu uma nota de alerta recomendando a proibição da entrada de visitantes em pontos turísticos como cachoeiras, balneários e acampamentos, durante o período de chuvas intensas.

Segundo o órgão municipal, há o risco do fenômeno conhecido como “cabeça d’água” e “tromba d’água”, que é quando uma grande quantidade de água acumulada desce o rio, causando enchentes repentinas, com forte correnteza.

Locais seguros

Ainda segundo a nota da Defesa Civil municipal, os moradores de áreas de risco devem buscar abrigo em local seguro. Áreas às margens de rios e córregos são consideras de risco, por causa do risco de alagamento.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu o alerta laranja de chuvas intensas para Pirenópolis, com a previsão de ventos de até 100 quilômetros por hora. Esse alerta vai até a próxima quarta-feira (12/1) cedo).

Em caso de rajadas de vento, não é recomendado se abrigar debaixo de árvores, já que há o risco de descarga elétrica. Também é recomendado não estacionar o veículo debaixo de placas de propaganda e torres de transmissão.

A prefeitura de Pirenópolis ainda orienta que devem deixar suas casas os moradores de casas com rachaduras, trincas, árvores e postes inclinados, com estalos em rocha e muros embarrigados. Esses são sinais de que o solo está começando a se movimentar e pode ter deslizamento de terra.

Fonte: Metrópoles.

print