Estados relatam atrasos em entrega da vacina infantil; SP aplica primeira dose hoje

O lote com as primeiras doses da vacina infantil da Pfizer contra Covid-19 começaria a ser distribuído aos estados brasileiros, segundo a previsão do Ministério da Saúde, entre a noite de quinta-feira (13) e a manhã desta sexta-feira (14).

Porém, nesta sexta, pelo menos dez estados relataram não terem recebido ou que foram reprogramados os voos com suas porções prometidas das 1,2 milhão de doses do imunizante. Outros seis estados e o Distrito Federal relataram que as entregas ainda estão dentro do prazo previsto. Apenas São Paulo e o estado de Minas Gerais já estão em posse das doses.

As doses são partem do Centro de Distribuição do governo federal, na cidade de Guarulhos, na Grande São Paulo, para distribuição nacional.

Os primeiros voos estavam previstos para decolar, a partir das 22h15 de quinta (13), rumo aos estados do Distrito Federal, Goiás, Bahia, Ceará, Pernambuco, Acre, Amazonas, Pará, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul.

Na manhã desta sexta-feira (14), o estado do Rio Grande do Norte informou que as doses pediátricas não chegaram. “A carga de vacinas contra a Covid-19 destinadas às crianças de 5 a 11, que chegaria ao Rio Grande do Norte na madrugada desta sexta-feira (14), não foi enviada pelo Ministério da Saúde”, informou a Secretaria da Saúde Pública potiguar.

“A Sesap aguarda novas informações do Ministério para atualização da situação e eventual mudança na distribuição das doses e no início da campanha de vacinação para essa faixa etária”, complementa o comunicado.

O secretário-executivo de Comunicação de Pernambuco relatou a mesma situação ao correspondente da CNN em Recife, Diego Barros. Segundo o Ministério, o governo pernambucano deveria ter recebido 55 mil doses pediátricas por volta da 01h da manhã de sexta.

O Rio de Janeiro, que deveria receber seu primeiro lote da vacina infantil às 00h45 desta sexta, também relatou que doses não chegaram. Segundo a Secretaria de Saúde fluminense, as 93,5 mil doses devem chegar ainda nesta manhã.

O Ministério da Saúde também alterou a previsão de desembarque das doses que vão para o Paraná. Inicialmente previstas para chegarem às 07h50 desta sexta, os imunizantes serão encaminhados ao Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar) em um voo previsto para pousar às 13h50.

Santa Catarina deveria receber 39.800 doses para vacinação de crianças de 5 a 11 anos de idade às 08h25 desta sexta-feira (14). Porém, de acordo com a correspondente da CNN em Florianópolis, Gabrielle Ravasco, o voo pousou sem os imunizantes.

A Secretaria de Saúde do estado descobriu a situação apenas no momento do pouso, e informou que a nova previsão de chegada do imunizante é para 14h05.

Bahia informou que, “pela terceira vez, em menos de 24 horas, o Ministério da Saúde reprogramou a entrega da vacinas”. Inicialmente previstas para chegar às 01h20 da manhã de sexta, a nova previsão é que o imunizante chegue às 14h40 no Aeroporto de Salvador.

“Infelizmente, a inconsistência de informação prejudica o planejamento de estados e municípios na distribuição dos imunizantes”, informou a Secretaria Estadual de Saúde da Bahia.

Amazonas também relatou que as doses não chegaram no estado. “O Ministério da Saúde reprogramou o envio de doses das vacinas para crianças no Amazonas, que estava previsto para esta madrugada. A previsão de chegada permanece para esta sexta-feira (14/10), em horário a ser confirmado”, informou a Secretaria de Saúde.

Em comunicado, o governo do Piauí também informou que foi cancelado o voo que levaria as doses pediátricas ao estado. “O cancelamento se deu em virtude da tripulação ter testado positivo para Covid-19”, informou em nota a Secretaria de Saúde do Piauí, que disse aguardar comunicado do governo federal com nova programação de voo.

Além disso, a Secretaria de Saúde Pública do Pará (Sespa) informou que houve atraso por parte do Ministério da Saúde. As doses que deveriam ter chego durante a madrugada devem chegar ainda nesta sexta (14), informou a Sespa.

Pela previsão do Ministério, o Acre deveria ter recebido o primeiro lote de doses pediátricas ainda na noite de quinta-feira (13). Porém, a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) afirmou que as vacinas não forma enviadas. “O Ministério da Saúde informou nova previsão para envio nesta sexta-feira, 14, às 21h50, em voo da Latam”, comunicou a Sesacre

Os estados de Tocantins, Paraíba, Espírito Santo, Roraima, Rondônia, Maranhão e o Distrito Federal informaram à CNN que ainda estão dentro do prazo para a chegada das doses. Os voos têm previsão de pouso para o final da manhã e início da tarde desta sexta-feira (14), carregados com as primeiras vacinas infantis.

Apesar do Ministério ter inicialmente previsto que as doses chegariam às 00h05 desta sexta no Distrito Federal, o governo do DF afirmou que o cronograma segue dentro do prazo e as vacinas devem chegar às 14h.

Até o momento, a CNN confirmou o recebimento das doses pediátricas através da distribuição do governo federal apenas no estado de Minas Gerais, além de São Paulo.

O governo mineiro afirmou que recebeu, na manhã de sexta (14), 110 mil doses no Aeroporto de Confins. O estado pretende começar a distribuir as vacinas ainda nesta tarde.

“A previsão é que até a segunda-feira (17) todas as Unidades Regionais de Saúde já tenham recebido os imunizantes”, informou o governo.

São Paulo também já está em posse das doses porque a entrega da Pfizer aconteceu no estado, em voo que pousou no aeroporto de Viracopos, em Campinas, o que facilitou a logística do repasse.

CNN entrou em contato com o Ministério da Saúde para comentar o atraso nas entregas, mas não houve retorno até o momento.

“O Ministério da Saúde não atrasa nada”

Em evento do Ministério da Saúde transmitido pelas redes sociais nesta sexta (14), o ministro Marcelo Queiroga negou que a pasta esteja atrasando o repasse das vacinas infantis aos estados.

Ele afirmou que “há toda uma narrativa construída de forma enviesada para trazer intranquilidade para a população brasileira”.

Segundo Queiroga, a distribuição de vacinas infantis pelo Ministério da Saúde foi baseada “na melhor evidência científica e num planejamento logístico adequado”. “Ficou claro que o ministério da Saúde não atrasa nada.

Nós trabalhamos aqui fortemente para antecipar essas políticas públicas que são do interesse da população brasileiro”, declarou.

São Paulo aplica primeira dose infantil nesta sexta-feira (14)

Como as doses da Pfizer chegaram ao Brasil diretamente em São Paulo, o governo paulista não dependeu da distribuição de doses através de voos, como os outros estados.

O governo de São Paulo anunciou que o início da vacinação de crianças de 5 a 11 anos foi antecipado para esta sexta-feira (14). As primeiras doses serão aplicadas às 12 horas, em evento no Hospital das Clínicas.

Nesta quinta (13), São Paulo já tinha registrado mais de 230 mil de crianças pré-cadastradas virtualmente para receber a vacina.

Oito capitais e Distrito Federal já tem calendário para vacinação infantil

Para além de São Paulo, outras sete capitais e o Distrito Federal já definiram seus calendários para vacinação das crianças de 5 a 11 anos, a depender da chegada das doses.

De acordo com levantamento da Agência CNN, a capital tocantinense de Palmas também pretende iniciar a imunização infantil ainda nesta sexta-feira (14).

A Secretaria de Saúde do Tocantins afirmou que, até o momento, não houve alteração na previsão de chegada das doses no estado – prevista para esta sexta-feira às 10h30.

Já Campo Grande pretende começar a aplicação de doses neste sábado (15).

O Distrito Federal e a capital da Paraíba, João Pessoa, planejam iniciar a vacinação no domingo, dia 16.

Rio de Janeiro, Goiânia e Teresina devem iniciar a vacinação infantil na segunda-feira (17). Por fim, Porto Alegre definiu que começará a vacinar as crianças na quarta-feira (19).

Os outros estados disseram que vão esperar receber as primeiras doses para definir quando irão iniciar a vacinação infantil contra a Covid-19.

* Raphael Coraccini, Kaio Teles, Diego Barros, Thayana Araújo, Gabrielle Ravasco, Giovanna Bronze e Diego Mendes, da CNN, colaboraram com esta reportagem

Fonte: CNN Brasil.

print