Procura por UTI aérea volta a crescer em Goiás

O aumento dos casos de Covid-19 fez a procura pelo transporte aeromédico voltar a crescer muito desde o início de ano.

As empresas do ramo que atuam em Goiás já registraram uma alta de 50% na demanda pelas UTIs aéreas para levar pacientes para tratamento em grandes centros médicos, como São Paulo e Goiânia.

Apesar de bem mais caro que o transporte rodoviário, cada vez mais famílias e empresas recorrem a este serviço mais rápido e estruturado para transportar casos mais graves da doença.

As empresas do setor concordam que o pico da demanda pelo transporte aeromédico ocorreu nos primeiros meses de 2021. Mas a procura foi caindo gradativamente nos meses seguintes até outubro.

Até o último dia 13 deste mês, já foram 24 pacientes transportados no Aeromédico da Brasil Vida.

A maior procura é registrada nas regiões Norte e Nordeste para transporte até São Paulo, onde estão os maiores hospitais de referência nacional.

Os preços costumam variar muito, indo de R$ 30 mil a R$ 200 mil. Apesar do crescimento agora, o grande pico da demanda por UTIs aéreas ocorreu nos primeiros meses de 2021. A Brasil Vida chegou a transportar mais de 300 pacientes com Covid só em março de 2021.

A Sete chegou a registrar fila de espera em janeiro e fevereiro e a realizar o dobro da quantidade máxima de voos que fazia habitualmente.

Fonte: Poder Goiás.

print