Operação no Jacarezinho dá início ao Cidade Integrada, novo projeto de ocupação de comunidades, 14 anos após criação das UPPs

O governo do Rio de Janeiro deu início na manhã desta quarta-feira (19) ao Cidade Integrada, o novo projeto de ocupação social de comunidades e uma espécie de reformulação do programa das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), criado em 2008.

A ação, com 1.200 homens, começou pelo Jacarezinho, na Zona Norte da cidade — onde em maio de 2021 uma operação policial terminou com 28 mortos, a mais letal da história do estado. A comunidade é dominada por uma facção do tráfico de drogas.

Até a última atualização desta reportagem, um homem havia sido preso, cuja identidade não foi revelada. A Polícia Civil tentava cumprir, no total, 42 mandados de prisão e 13 de busca e apreensão de adolescentes.

Não houve relatos de tiroteios. “A situação é de aparente tranquilidade. Já temos o cerco nas imediações. O trânsito nas vias próximas segue fluindo normalmente, e isso é muito importante”, disse o porta-voz da PM, tenente-coronel Ivan Blaz. Os trens também circulavam sem interrupções.

A intenção de reformar o projeto adotado pelas UPPs foi anunciada em maio de 2021. “O estado não estava presente, não tinha serviço lá dentro”, afirmou o governador Cláudio Castro (PL) na ocasião.

Nesta quarta, Castro comentou o início do Cidade Integrada nas redes sociais.

“Damos início a um grande processo de transformação das comunidades do Estado do Rio. Foram meses elaborando um programa que mude a vida da população levando dignidade e oportunidade. As operações de hoje são apenas o começo dessa mudança que vai muito além da segurança”, escreveu.

Resumo do projeto Cidade Integrada:

  • Delegacias farão investigações para ajudar a desestruturar organizações criminosas;
  • A Polícia Militar vai patrulhar ruas e avenidas das regiões;
  • Por fim, as áreas receberão intervenções urbanísticas e sociais.

Em novembro, o g1 mostrou que a ocupação estava prevista para seis grandes comunidades:

  1. Jacarezinho;
  2. Muzema/Tijuquinha/Morro do Banco, no Itanhangá;
  3. Cesarão, em Santa Cruz;
  4. Pavão-Pavaozinho/Cantagalo, em Copacabana e em Ipanema;
  5. Maré;
  6. Rio das Pedras.

 

Todas essas comunidades possuem forte presença do crime organizado, entre traficantes e milicianos. O Jacarezinho, por exemplo, é área do Comando Vermelho.

Nesta quarta, o governo não informou sobre outros alvos do Cidade Integrada. Mais detalhes serão apresentados no próximo sábado (22). A TV Globo apurou que nesta quinta (20) Castro vai se reunir com o prefeito Eduardo Paes (PSD) para discutir o andamento do programa.

 

 

Policiais saem da Cidade da Polícia em direção ao Jacarezinho, na Zona Norte do Rio de Janeiro — Foto: Reprodução/ TV Globo

Policiais saem da Cidade da Polícia em direção ao Jacarezinho, na Zona Norte do Rio de Janeiro — Foto: Reprodução/ TV Globo

“Neste primeiro momento, a ideia é que possamos fazer uma retomada do território”, disse o porta-voz da PM, tenente-coronel Ivan Blaz. “Era necessário que fizéssemos este trabalho de cerco e agora é fazer vasculhamento, com o cumprimento de mandados de busca e apreensão e verificação de antigos mandados de prisão”, emendou.

Segundo Blaz, o Comando de Operações Especiais, que inclui o Bope, chegou ainda na noite de terça (19). Batalhões da Zona Norte e a Coordenadoria de Polícia Pacificadora também foram mobilizados.

“Algumas comunidades ao redor também vão ser ocupadas para o sucesso da operação. Manguinhos e Bandeira 2 são comunidades que estão sofrendo algum impacto”, acrescentou o porta-voz.

Governo do Rio de Janeiro deu início na manhã desta quarta-feira (19) a um novo grande projeto de ocupação social de comunidades. A primeira ação acontece no Jacarezinho — Foto: Reprodução/ TV Globo

Governo do Rio de Janeiro deu início na manhã desta quarta-feira (19) a um novo grande projeto de ocupação social de comunidades. A primeira ação acontece no Jacarezinho — Foto: Reprodução/ TV Globo

Castro: ‘Entrada de serviço público’

Na semana passada, ao inaugurar centros de testagem para Covid, o governador disse que o Cidade Integrada não seria “como em outras épocas”.

“Eu tenho certeza de que não é, como em outras épocas, entrar dando tiro nas pessoas. É uma entrada de serviço público, um repensar da segurança pública”, declarou Castro.

“Chegou a hora de repensar até essa questão da ocupação do estado mesmo. É um programa que vem discutir segurança pública de maneira mais ampla e não simplesmente fazer o que foi feito nas outras vezes, que era ocupar e tirar todo mundo e daqui a pouco volta”, detalhou.

Documentos obtidos pelo g1 mostram que a reformulação já vinha sendo discutida pelo menos desde setembro. Um ofício previa, por exemplo, a instalação de projetos sociais destinados a mulheres e idosos no Cantagalo.

O programa das UPPs surgiu em 2008, na gestão do governador Sérgio Cabral. Dez anos depois, sofreu uma grande diminuição, quando o Rio estava sob intervenção federal na segurança pública.

Fonte: Portal G1.

print