Chuva no Rio de Janeiro deixa mais de 7 mil pessoas desalojadas e desabrigadas

Mais de sete mil pessoas já tiveram que deixar suas casas por conta das fortes chuvas que atingiram várias cidades do Rio de Janeiro desde a última quinta-feira (31).

Dessas, 5.628 são moradoras do município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Segundo a prefeitura, o plano de contingência do município, feito para os verões de 2021 e 2022, revelou que há mais de 47 mil moradias localizadas em áreas suscetíveis a inundações, afetando 23,98% da população.

Até o momento, foram contabilizadas 19 mortes no estado. Na Costa Verde, Angra dos Reis teve dez vítimas, já em Paraty foram seis óbitos. As cidades de Mesquita, na Baixada Fluminense, e Cachoeira de Macacu, na região Metropolitana, registraram um óbito cada.

Quatro pessoas seguem desaparecidas, três na região de Ilha Grande, em Angra, e uma em Paraty.

Nesta terça-feira (5), o ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira, visita os dois municípios da Costa Verde para avaliar as necessidades das áreas.

Em Angra dos Reis, onde são cerca de 470 pessoas em casas de parentes e 314 em pontos de apoio da prefeitura, Daniel Ferreira irá assinar portaria que institui diretrizes e procedimentos para a reconstrução de unidades habitacionais destruídas por desastres naturais. Na cidade de Paraty, será realizada uma reunião com a prefeitura local para tratar sobre as ações de resposta aos prejuízos.

CNN solicitou para as duas prefeituras o levantamento de residências em áreas de risco para deslizamentos e alagamentos, mas ainda não recebeu resposta. O mesmo balanço foi solicitado para o Ministério de Desenvolvimento Regional.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ministro de Infraestrutura, Marcelo Sampaio, estiveram no Rio de Janeiro nesta segunda-feira (4) para sobrevoar as áreas mais afetadas.

Também nesta segunda, o governo federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), autorizou o repasse de R$ 2,4 milhões para Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, que registrou 821 milímetros de chuva em 48 horas, segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden).

De acordo com informações do governo, os recursos repassados à cidade fluminense serão utilizados na compra de cestas de alimentos, colchões, limpeza, dormitório e kits de higiene pessoal. Ao todo, cerca de 86 mil pessoas serão beneficiadas.

Além de Angra, o MDR reconheceu a situação de emergência do município de Paraty. Com isso, a cidade pode pedir recursos para ações de resposta, como socorro e assistência humanitária e restabelecimento de serviços essenciais, além de reconstrução das áreas atingidas pelo desastre.

As cidades de Nova Iguaçu, Mangaratiba, Paraty e Angra dos Reis também declararam estado de emergência por conta das chuvas.

 

Fonte: CNN Brasil.

print