EUA alertam para novo estágio da guerra e que Rússia se prepara para ataque maior

A guerra na Ucrânia pode estar entrando em um novo e crítico estágio, com um novo foco das forças armadas da Rússia, uma última posição em uma importante cidade ucraniana e a promessa de poder de fogo adicional dos Estados Unidos para ajudar a Ucrânia a reagir.

Novo foco: As forças armadas da Rússia estão agora focadas na disputada porção leste da Ucrânia, que se pensava ser seu objetivo antes do início da invasão. A inteligência britânica sugere que as forças ucranianas repeliram inúmeras tentativas de avanços das forças russas na área –mas autoridades dos EUA alertam que os russos podem estar se preparando para um ataque maior no sudeste da Ucrânia.

Álamo da Ucrânia: Avanços dos russos no sul contra defesas sitiadas na cidade cercada de Mariupol, um importante centro de abastecimento, estão diminuindo a esperança dos militares da Ucrânia depois que o comandante fez um pedido desesperado de ajuda. O governo da Ucrânia diz que mulheres e crianças também estão buscando refúgio em uma siderúrgica que é o reduto dos militares. O presidente russo, Vladimir Putin, disse na quinta-feira (21) que suas forças armadas não invadiriam a fábrica.

Mais armas a caminho: Um novo envio de armas dos EUA está a caminho para ajudar a Ucrânia a se adaptar a um estágio diferente do conflito.

O presidente Joe Biden disse que a guerra está em um estágio crítico e que os Estados Unidos estão procurando maneiras de apoiar as forças armadas da Ucrânia.

Outros US$ 800 milhões em assistência: Na quinta-feira (21), Biden anunciou outro pacote de assistência militar de cerca de US$ 800 milhões à Ucrânia – além dos US$ 800 milhões já anunciados na semana passada.

“Temos que acelerar esse pacote de assistência para ajudar a preparar a Ucrânia para a ofensiva da Rússia, que será mais limitada em termos geográficos, mas não em termos de brutalidade”, disse ele, acrescentando que em breve pedirá mais dinheiro ao Congresso para ajudar armar a Ucrânia.

Separadamente, as peças de reposição ajudaram a Ucrânia a adicionar cerca de 20 aviões à sua força aérea, disse um funcionário do alto escalão da defesa dos EUA na quarta-feira, embora não esteja claro de onde essas peças vieram.

Total geral: Isso soma cerca de US$ 3,4 bilhões em assistência dos EUA à Ucrânia desde o início da invasão.

O que está sendo enviado para ajudar no Oriente? Artilharia e sistemas de longo alcance podem ser mais úteis em terrenos mais abertos. Esta é a mesma região contestada de Donbass, onde as forças apoiadas pela Rússia lutam contra os militares ucranianos há anos.

O que acontece com todo esse poder de fogo? Não está totalmente claro. Uma reportagem interessante da CNN mostra como os EUA perdem o controle do armamento que envia para a Ucrânia.

Oren Liebermann, da CNN, que ajudou a escrever artigos recentes sobre a ajuda militar americana, foi questionado sobre o que fazer com todas essas armas adicionais provavelmente enviadas dos EUA para a Ucrânia.

Soldados ucranianos se preparam contra russos na linha de frente do Donbass

Por que não foi enviada mais artilharia a este ponto?

LIEBERMANN: Porque a artilharia não era o tipo de arma necessária para defender Kiev. Nos pântanos e florestas do norte da Ucrânia, para não mencionar a zona de exclusão de Chernobyl, a artilharia não era uma parte crítica da batalha. Com o foco agora no sudeste da Ucrânia, a artilharia e outros armamentos de longo alcance são absolutamente críticos.

Essa é uma nova tecnologia ou um divisor de águas na luta?

 LIEBERMANN: Vamos ser claros – a artilharia não é uma tecnologia nova. Talvez os sistemas sejam mais novos e ofereçam um pouco mais de precisão ou mais poder de fogo, mas a artilharia não é um equipamento militar moderno que nunca foi visto antes. Muito pelo contrário – tem sido parte integrante das guerras por muitas, muitas décadas, se não já há alguns séculos.

E, no entanto, é vista pelos EUA e seus parceiros/aliados como uma das peças mais importantes de armamento para chegar à Ucrânia […] e rápido. A Ucrânia pode queimar munição de artilharia rapidamente, por isso é importante obter um suprimento muito grande o mais rápido possível.

Como o Pentágono vê sua responsabilidade por essas armas uma vez que elas estão na Ucrânia?

 LIEBERMANN: Isso não é visto como crítico. É trabalho do Departamento de Defesa americano levá-las até a fronteira, então a Ucrânia leva de lá para onde eles acreditam que é necessário. A Ucrânia tem um apetite quase insaciável agora por mais armamento, e é isso que os EUA estão tentando atender, juntamente com a ajuda de outros países.

O que sabemos sobre o que foi enviado até agora?

Segundo Ellie Kaufman, da CNN, um funcionário do alto escalão da defesa dos EUA disse aos repórteres na quarta-feira que o primeiro dos 40 mil obuses, um tipo de munição de artilharia, chegou à Europa para ser enviado à Ucrânia. Estes fazem parte do pacote de US$ 800 milhões anunciado da semana passada.

Os EUA estão treinando cerca de 50 ucranianos em um país fora da Ucrânia (não está claro qual) sobre como usar os obuses.

“Isso é para treinar os treinadores; é um número pequeno de ucranianos, pouco mais de 50 – eles serão treinados sobre como usar os obuses e então poderão voltar para a Ucrânia e treinar seus colegas”, disse o oficial.

A questão da Otan paira: A Finlândia e a Suécia estão agora considerando ativamente ingressar na Otan, portanto, se o plano de Putin era impedir o crescimento da aliança, oficialmente ele saiu pela culatra. A Rússia alertou que tais medidas podem levar a uma postura mais agressiva em relação às suas armas hipersônicas ou nucleares.

Alerta: Um teste de míssil balístico intercontinental feito pela Rússia na quarta-feira (20) é uma mensagem para os países que tentam ameaçá-lo, segundo Putin.

Debandada: A Rússia ficou ainda mais isolada da comunidade mundial depois que autoridades financeiras ocidentais, incluindo o secretário do Tesouro dos EUA, saíram de uma reunião a portas fechadas do Grupo dos 20 países industrializados em Washington em vez de ouvir uma apresentação russa.

Qual é a ameaça nuclear na Ucrânia? Barbara Starr e Zachary Cohen, ambos da CNN, relatam que os militares dos EUA estão vigiando constantemente o arsenal nuclear da Rússia.

Os EUA não viram nenhuma indicação de que a Rússia tenha se movido para preparar seu arsenal nuclear para uso, e Starr e Cohen dizem que as autoridades americanas ainda sentem que há apenas uma probabilidade muito remota de Putin cruzar essa linha.

Mas o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, alertou na semana passada que o mundo deveria se preparar para a possibilidade de Putin usar armas nucleares.

Segundo Starr e Cohen: Os planos militares altamente sigilosos dos EUA continuam sendo atualizados sobre o que todos acreditam ser um cenário quase impensável: o uso de uma arma nuclear. Os militares dos EUA “planejaram tudo isso”, disse um alto funcionário da defesa.

A vida na linha de frente do exército russo

Phil Black, da CNN, foi para um acampamento militar russo abandonado nos arredores de Kiev. Quando os soldados não conseguiram tomar a capital da Ucrânia, eles foram deixados para viver em buracos escavados de forma primitiva. Black falou com civis que foram capturados e torturados pelos russos, bem como com um padre que foi solicitado a enterrar as pessoas que eles mataram.

 

Fonte: CNN Brasil.

print