Perillo põe ex-prefeitos pra pressionar Braga e Mendanha por composição

O ex-governador Marconi Perillo (PSDB) trabalha para gestar duas chapas ou só uma chapa para governador das oposições em Goiás.

Como apoio de um grupo de ex-prefeitos, para se contrapor à Associação Goiana de Municípios (AGM) — que, em termos políticos, estaria “inerte”, de acordo com um grupo de prefeitos —, Perillo patrocinou a criação da Associação Goiana de Ex-Prefeitos (Agexp).

Jorcelino Braga e Gustavo Mendanha: o primeiro rejeita aliança política com o ex-governador Marconi Perillo; e o empresário e marqueteiro controla o Patriota | Foto: Divulgação

 

A Agexp vai organizar na segunda-feira, 25, às 14 horas, no escritório político de Perillo (Rua 109, nº 250, no Setor Sul, em Goiânia), uma reunião com a seguinte pauta: “Marconi & Mendanha/Mendanha & Marconi”.

Curiosamente, o prenome “Marconi” aparece antes do sobrenome “Mendanha”, como a sugerir que o ex-governador é, politicamente, mais importante do que o ex-prefeito. Mas talvez seja uma indireta para o presidente do Patriota, Jorcelino Braga, que não aceita a aliança entre Perillo e Mendanha (Patriota). Em 2006, como marqueteiro da campanha, Braga usou “Alcides & Marconi”/“Marconi & Alcides” inclusive num jingle.

Marconi Perillo, Gustavo Mendanha e José Eliton | Foto: Reprodução

Qual é o jogo de Perillo, no qual os ex-prefeitos são peões?

Perillo opera com quatro jogos. Primeiro, Mendanha para governador, com ele para senador. Segundo, ele para governador, com Mendanha na vice ou para senador. Terceiro, um chapão com Mendanha para governador, Wolmir Amado (ou José Eliton, do PSB), do PT, na vice e Perillo para senador. Quarto, a constituição de duas chapas: A — José Eliton para governador e Wolmir Amado na vice ou para senador; B — Mendanha para governador e Perillo para senador.

 

Fonte: Jornal Opção.

print