Viúva de Marielle sobre Bolsonaro: “Retrato da antidemocracia”

A vereadora do Rio de Janeiro Mônica Benício (PSol), viúva de Marielle Franco, afirmou, nesta quinta-feira (21/4), que a graça constitucional concedida pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) é uma “afronta duríssima contra o Estado Democrático de Direito” e destacou que o mandatário é “o retrato contemporâneo da antidemocracia”.

Mônica recordou que Silveira “já tinha deixado nítida sua política de ódio ao quebrar a placa de Marielle” e destacou o chefe do Executivo federal usou o instrumento raro para favorecer atos antidemocráticos. “Silveira e Bolsonaro são caricaturas do pior que existe atualmente na política do Brasil”, disse.

“A graça concedida por Bolsonaro ao medíocre deputado Daniel Silveira é mais uma afronta duríssima contra o Estado Democrático de Direito. O deputado – que já tinha deixado nítida sua política de ódio ao quebrar a placa de Marielle – foi condenado por ataques à democracia, por ter extrapolado o decoro e ter reivindicado o período sombrio da ditadura militar. Não podemos admitir essa postura, isso não cabe em uma democracia”, declarou ela.

“E, ao conceder esse perdão, Bolsonaro se coloca ao lado dos ditadores, daqueles que atacam as instituições. Desde a redemocratização, graças individuais como essa são raríssimas. É muito significativo que Bolsonaro a tenha usado justamente para favorecer atos antidemocráticos. Embora não surpreenda, já que Jair Messias Bolsonaro é o retrato contemporâneo da antidemocracia. Silveira e Bolsonaro são caricaturas do pior que existe atualmente na política do Brasil”, completou.

Silveira foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), por 10 votos a 1, a inelegibilidade, prisão de 8 anos e 9 meses em regime fechado, além do pagamento de multa de R$ 192,5 mil. O único voto divergente foi de Nunes Marques. O deputado bolsonarista responderá pelo crime de tentar impedir, com emprego de violência ou grave ameaça, o livre exercício de qualquer Poder da União ou dos estados, além do crime de coação no curso do processo.

Fonte: Metrópoles.

print