Suspeito de dar golpes em bares de Goiânia e Palmas tem prisão preventiva decretada pela Justiça; entenda o que muda

A Justiça de Palmas (TO) decretou a prisão preventiva de Ruan Pamponet Costa nesta sexta-feira (22), suspeito de dar calote de R$ 5,2 mil em bar na Praia da Graciosa, no município. Ele já havia sido preso em Goiânia na quarta (21) pelo mesmo crime, e após dois dias que foi liberado sem necessidade de pagar fiança, repetiu a façanha. Ruan já realizou o golpe em pelo menos oito Estados e no Distrito Federal.

Com a decisão do juiz Rafael Gonçalves, da 3ª Vara Criminal de Palmas, Ruan segue preso na Casa de Prisão Provisória da cidade. Diferente da temporária, a prisão preventiva não tem prazo determinado e o suspeito de estelionato pode ficar detido durante todo o processo.

Outros golpes

Em Goiânia, ele consumiu mais R$ 6 mil em um bar, fingiu passar mal e foi preso. Três dias depois da prisão, a Justiça acatou pedido da Defensoria Pública de Goiás e dispensou a fiança para liberar Ruan da prisão.

Dois dias depois ele foi detido novamente, dessa vez por dar prejuizo em mais de R$ 5,2 mil no Bar e Restaurante Dona Maria Beach que fica na Praia da Graciosa, um dos principais pontos turísticos de Palmas.

No DF ele consumiu cerca de R$ 5,8 mil em um bar no Pontão do Lago Sul, em 7 de abril e também não pagou. Os funcionários chamaram a polícia, que prendeu o suspeito, mas ele foi liberado após assinar Termo Circunstanciado de Ocorrência.

Ruan também esteve em Brasília aplicando golpes durante o tempo que permaneceu na capital federal, em abril de 2019. Ele foi denunciado por um motorista de aplicativo e duas garotas de programa. O acusado teria feito diversas viagens, incluindo à Feira dos Importados, bares e motel. O prejuízo foi de cerca de R$ 6 mil reais.

Natural de Aracaju (SE), Pamponet também já foi denunciado por estelionato em 2015, 2018 e 2019. Segundo os dados do UOL, ele possui 41 processos, a maioria por estelionato.

Fonte: O Hoje

print