Barbeiro é preso suspeito de matar homem durante jogo de baralho por dívida de R$ 2,50, em Goiânia

Um homem de 42 anos foi preso suspeito de esfaquear e matar um colega após discussão durante um jogo de baralho, em uma distribuidora de bebidas, em Goiânia. O delegado responsável pelo caso, Marcos Gomes, conta que, inicialmente, o crime teria sido motivado por uma dívida de jogo.

“A discussão foi iniciada quando um apontou que o outro estava roubando na aposta com valor de R$ 2,50”, ressalta o delegado.

 

 

O g1 não conseguiu localizar a defesa do suspeito para um posicionamento sobre o caso até a última atualização desta reportagem.

O delegado ainda afirma que, ao ser interrogado, Erisvan confessou o crime e alegou legítima defesa, mas que o que foi apontado pelo suspeito contradiz o que vem sendo apurado nas investigações.

“Ele alega que a vítima teria jogado um engradado de cerveja vazio nele, antes que ele pegasse a faca para atingi-lo. Só que o homem tem apenas 20% de força nos braços, devido a uma cirurgia que fez recentemente”, revela Marcos.

 

O caso aconteceu no dia 8 de abril, no Setor Diamantina, mas o homem só foi preso 12 dias depois, na última quarta-feira (20). O delegado revelou que o suspeito chegou a mudar de residência para fugir da polícia. Erisvan foi encontrado escondido em uma casa que ele e a família alugaram após o crime, no Bairro Granja Cruzeiro do Sul.

A Polícia relata que, na ocasião, o homem jogava baralho e ingeria bebida alcoolica com outras três pessoas: a vítima, uma pessoa que deve ser ouvida pela Polícia Civil na quarta-feira (27), e outra não identificada.

No entanto, após a discussão, o suspeito teria buscado uma faca em sua barbearia, que localizada ao lado da distribuidora, e atingido a vítima. Idelson morreu no local e a arma do crime não foi encontrada.

Além dos companheiros de jogos, no local havia pelo menos outras sete pessoas, que foram ouvidas pelos agentes. Parte dessas testemunhas, segundo o delegado, são parentes do suspeito e confirmaram sua versão.

A Polícia Civil ainda acrescenta que o inquérito deve ser concluído na sexta-feira (29). A princípio, o barbeiro deve responder pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil.

Fonte: Portal G1 Goiás.

print