Mãe de bebê morta se lembra de quando carro foi atingido por motorista que estaria bêbado: ‘Pedi a Deus para todo mundo sair vivo’

A dona de casa Francielle Matos Goldinho, de 30 anos, contou o que se lembra do acidente em que perdeu a filha caçula, Maria Helena, de 1 ano, no domingo (24), em Rio Verde, no sudoeste goiano. Segundo ela, o marido parou o carro no acostamento para tapar o sol da janela sobre a bebê e, quando voltou para o banco do motorista e colocou o cinto, eles foram atingidos por motorista que estaria bêbado.

“Quando a gente fez o sinal do Pai Nosso para entrar na rodovia, a gente já recebeu a pancada. Só ouvi ele [marido] falando: ‘Toma conta das meninas’. O carro foi capotando e eu só pedia a Deus para todo mundo sair vivo”, contou, emocionada.

 

A defesa do motorista preso suspeito de causar o acidente informou que aguarda a “conclusão da perícia técnica automobilística para determinar se trata de acidente exclusivamente ocasionado por ele ou se ocorreu culpa concorrente da vítima condutora do segundo veículo”.

Família que estava no carro — Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

Família que estava no carro — Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

 

Francielle contou que, após o acidente, recebeu ajuda de duas pessoas que pararam na estrada e que quer muito poder encontrá-las novamente. Ela pede que entrem em contato como puderem para que ela possa revê-los e agradecer.

A mulher disse que foi levada a um hospital e só então soube da morte da filha caçula. As outras duas meninas, de 2 e 4 anos, ficaram com hematomas pelo corpo. Já o marido dela e pai das crianças, o pedreiro Vicente Ramos de Oliveira, que completa 42 anos nesta terça-feira (26), está internado desde então.

“Meu marido quebrou o braço esquerdo, teve que dar uns pontos na testa e vai precisar fazer cirurgia. Ele está muito perturbado, nervoso”, comentou.

Motorista estaria bêbado

 

Segundo a Polícia Civil, o motorista que estava no carro que bateu no veículo da família estava bêbado e não tinha habilitação para dirigir.

De acordo com o delegado Danilo Fabiano, o motorista que foi preso preferiu ficar em silêncio ao ser interrogado sobre o acidente.

Uma audiência de custódia realizada na segunda-feira (25) estipulou uma fiança de cerca de R$ 12 mil para que ele responda em liberdade. No entanto, segundo a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), o motorista seguia preso na tarde desta terça-feira em Rio Verde.

Fonte: Portal G1 Goiás.

print