‘Maníaco da Corrente’: laudo aponta causa da morte de serial killer como indeterminada

A causa da morte de Paulo José Lisboa, de 53 anos, o serial killer conhecido como “Maníaco da Corrente”, não foi determinada, segundo a Polícia Civil.

De acordo com a polícia, os exames laboratoriais e a necropsia foram prejudicados devido ao estado de decomposição do corpo.

Ainda segundo a polícia, o corpo não tinha sinais de lesões traumáticas e a causa da morte ficou como indeterminada.

Ele foi encontrado morto dentro de casa, no dia 4 de fevereiro, em Guarapari, no Espírito Santo.

‘Maníaco da Corrente’

 

Paulo foi apontado como serial killer nos anos 90 e condenado pela morte de cinco pessoas e espancamento de outras seis no estado de São Paulo, usando uma corrente para estrangular as vítimas. No Espírito Santo, Paulo também chegou a responder por seis assassinatos e pelo menos duas tentativas de homicídio.

Ele foi preso em Vitória, em 2008, após ficar 10 anos foragido. A prisão repercutiu em jornais do Brasil inteiro e Paulo foi até apontado como um dos maiores homicidas do interior paulista.

O “Maníaco da Corrente” tinha como alvo prostitutas e travestis. Quando foi preso no Espírito Santo, confessou os crimes e chegou a contar, com frieza, como agia para matar as vítimas.

Paulo estava solto desde 2017, quando conseguiu a liberdade após uma decisão da Justiça. Vizinhos contaram que ele vivia na região há alguns anos e era uma pessoa muito reservada.

Foi a esposa do homem que achou o corpo dele. Ela contou para a Polícia Militar que passou vários dias fora de casa, visitando parentes. Quando voltou, sentiu um cheiro forte já no portão. O marido estava caído, morto, no quarto do casal.

A própria mulher contou para polícia que o marido era o homem apontado como o “Maníaco da Corrente”.

A Polícia Civil informou que o caso foi registrado como encontro de cadáver.

Fonte: Portal G1.

print