Secretaria de Saúde confirma dois casos de zika vírus em grávidas e faz alerta, em Goiás

A Superintendente de Vigilância em Saúde da SES, Flúvia Amorim, explicou que o vírus está ativo e circulando, o que demanda cuidados dos moradores.

Segundo Flúvia Amorim, não houve registros de grávidas infectadas pelo zika vírus no ano passado. A doença pode causar sequelas graves nos bebês, como a microcefalia, uma malformação congênita em que a cabeça dos recém-nascidos é menor do que o esperado.

A superintendete explicou que a possibilidade de a criança desenvolver microcefalia é maior se a mãe for infectada no primeiro trimestre da gravidez.

“As gestantes precisam tomar cuidado, usarem repelentes, se possível. No ano passado não tivemos nenhuma gestante infectada. Mas com o vírus ativo e circulando, os casos podem aumentar”, ressaltou Flúvia Amorim.

Fonte: Portal G1 Goiás.

print