Frentista baleado na cabeça sai andando em busca de socorro, em Planaltina (GO)

A Polícia Civil investiga o caso de um frentista de 34 anos que foi baleado na cabeça durante uma tentativa de assalto ocorrida em Planaltina de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. Câmeras de segurança registraram toda a ação dos bandidos. O caso aconteceu no feriado de Tiradentes, no último dia (21), por volta de 20h15, mas as informações só foram divulgadas na sexta-feira (29) – um dia após o frentista, que está se recuperando bem, conseguir prestar depoimento à polícia.

Imagens das câmeras de segurança mostram quando dois homens em uma moto param na fila do abastecimento do posto de gasolina. Assim que o frentista termina de abastecer um veículo, um dos homens desce da garupa da moto e rende o trabalhador anunciando o assalto.

Quando a vítima levou a mão ao bolso para pegar o dinheiro, o outro homem atira à queima-roupa na cabeça do frentista. Ele guarda a arma de fogo na cintura, sobe na moto e os homens fogem do local. Mesmo ferido, o frentista sai do local cambaleando em busca de ajuda.

Investigação

O delegado responsável pelo caso, Lucas Rocha, disse ao Mais Goiás que a vítima passa bem e prestou declarações as autoridades. “Ele foi encaminhado para exames no IML de Formosa. Houve formalização de alguns depoimentos, no entanto, para não prejudicar as investigações, neste momento, não pode haver divulgação das informações”, explicou.

O delegado confirmou que nada foi levado do local no momento do assalto. “A vítima estava colocando a mão no bolso para passar o dinheiro quando o autor realizou o disparo, fugindo com um comparsa em seguida”, disse.

Ainda conforme o delegado, dois homens foram presos em flagrante na última quinta-feira (28), pela Polícia Militar em virtude de roubos em sequência praticados na cidade, mas não há relação direta, nesse momento, com o crime de tentativa de latrocínio ocorrido contra o frentista. Com isso os suspeitos do crime ainda estão sendo procurados pela polícia.

“Em princípio os dois presos não possuem relação direta com o crime de tentativa de latrocínio, não sendo possível repassar maiores informações para não prejudicar as investigações”, afirmou o delegado Lucas Rocha.

print