Imóvel na planta: disparada dos juros eleva custo do financiamento e assusta mutuários na entrega das chaves

A designer Daiana Zorzin, de 29 anos, comprou um apartamento de dois dormitórios na planta em setembro do ano passado na região de Santo Amaro, na capital paulista, avaliado em R$ 320 mil. Para concretizar o sonho da casa própria, ela guardou dinheiro durante três anos para dar uma entrada de R$ 64 mil.

Na última semana, Daiana pegou as chaves do imóvel e, como parte do processo, assinou o contrato de financiamento imobiliário com o restante do valor que teria de pagar do apartamento.

Foi então que a alegria deu lugar à tensão: em setembro de 2021, a estimativa do banco era de que seu financiamento resultasse em um valor total de R$ 280 mil. Em abril deste ano, esse montante passou para R$ 313 mil — um aumento de aproximadamente R$ 33 mil, equivalente a quase 10% do valor inicial do imóvel (R$ 320 mil).

print