Conselho de Ética investiga Eduardo Bolsonaro por ataque a jornalista

Foi aberto, nesta quarta-feira (4/5), por decisão do Conselho de Ética da Câmara, um processo disciplinar contra o deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) por ataque feito à jornalista Míriam Leitão, do jornal O Globo.

Na ocasião, o filho do presidente Jair Bolsonaro (PL) ironizou a tortura sofrida pela colunista, afirmando que tinha “pena da cobra”, em clara referência a um dos métodos usados pelos torturadores na época da ditadura militar.

A instauração do procedimento decorre de representações apresentadas pelo PT, PSol, PCdoB e Rede – as bancadas pedem que o parlamentar seja cassado.

Eduardo Bolsonaro não participou da reunião do Conselho de Ética. O processo disciplinar ainda carecia de designação de relator.

Outros processos

O colegiado ainda determinou a abertura de outros processos disciplinares. Um deles tem como alvo o deputado Kim Kataguiri (União-SP), em razão das manifestações dele em que critica a Alemanha pela criminalização do nazismo.

Outro parlamentar que terá a conduta investigada é Josimar Maranhãozinho (PL-MA). Ele é acusado pela Polícia Federal de integrar esquema envolvendo desvios de emendas parlamentares. Após o caso vir à tona, o deputado se licenciou do mandato.

 

Fonte: Metrópoles.

print