Aparecida de Goiânia tem 1º caso identificado no Brasil de cepa da dengue mais disseminada no mundo, diz Fiocruz

Aparecida de Goiânia tem o primeiro caso identificado no Brasil do genótipo cosmopolita do sorotipo 2 do vírus da dengue, que é considerado o mais disseminado no mundo. A linhagem é presente na Ásia, no Pacífico, no Oriente Médio e na África. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (5) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A identificação foi realizada em fevereiro em uma amostra referente a um caso ocorrido no final de novembro na cidade da Região Metropolitana de Goiânia. O estudo é da Fiocruz, em parceria com o Laboratório Central de Saúde Pública de Goiás (Lacen-GO).

Segundo a Fundação Oswaldo Cruz, a detecção foi comunicada imediatamente às secretarias municipal e estadual de Saúde e ao Ministério da Saúde (MS).

g1 entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Aparecida de Goiânia, com a Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES-GO), por mensagens enviadas por volta das 19h30 desta quinta-feira, e com o MS, por e-mail enviado às 19h38, para saber um posicionamento em relação ao caso e aguarda retorno.

Larvas do mosquito Aedes aegypti, que transmite dengue, Goiânia, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Larvas do mosquito Aedes aegypti, que transmite dengue, Goiânia, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Cepa mais disseminada no mundo

 

O genótipo cosmopolita do sorotipo 2 do vírus da dengue está presente na Ásia, no Pacífico, no Oriente Médio e na África, mas nunca havia sido encontrado no território brasileiro.

De acordo com a Fiocruz, a identificação em Aparecida representa o segundo registro oficial desse genótipo nas Américas. O primeiro foi após um surto em Madre de Dios, no Peru, em 2019.

A Fundação explica que o vírus da dengue possui quatro sorotipos, são eles: 1, 2, 3 e 4. Segundo eles, cada um pode ser subdividido em diferentes genótipos, por causa das variações genéticas. De acordo com o estudo, o genótipo cosmopolita é um dos seis genótipos do sorotipo 2.

Atualmente, a linhagem asiático-americana, que também pode ser denominada como genótipo 3 do sorotipo 2, é a que circula no Brasil. No entanto, como o genótipo cosmopolita tem a capacidade de se espalhar facilmente, a chegada dessa cepa território brasileiro gera uma preocupação aos pesquisadores, segundo a Fiocruz.

Mosquito Aedes aegypti é responsável por transmitir a dengue. — Foto: Reprdoução/EPTV

Mosquito Aedes aegypti é responsável por transmitir a dengue. — Foto: Reprdoução/EPTV

Pesquisadores descartam relação com surto em Goiás

 

Segundo o Ministério da Sáude (MS), a cada 100 mil moradores de Goiás, 1,3 mil têm ou tiveram dengue em 2022. O órgão indica que essa incidência é cinco vezes maior do que a média em todo o Brasil, que é de 254 diagnósticos para cada grupo do mesmo número de pessoas. Apesar disso, os pesquisadores da Fiocruz descartam a aparição da nova cepa com o surto vivido no estado.

De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz, a possibilidade de associação entre a linhagem cosmopolita e o aumento de casos no estado goiano é descartada, até o momento, com base no sequenciamento genético de amostras feito em Goiás.

O estudo apurou, ao todo, cerca de 60 genomas nas duas primeiras semanas de fevereiro. As amostras encontradas eram do sorotipo 1 e do sorotipo 2 e apenas uma delas era do genótipo cosmopolita. As demais, conforme a Fiocruz, eram do genótipo asiático-americano.

Fonte: Portal G1.

print