Goiás tem aumento de 300% nos casos de dengue este ano

Nos primeiros quatro meses de 2022 mais 37 mil casos de dengue foram notificados somente na Capital. Goiás já tem 90.302 casos de dengue registrados, o que representa um aumento de 300% na comparação com o mesmo período do ano passado. São 34 óbitos confirmados e outros 121 suspeitos.

Com o aumento desenfreado dos casos na Capital, a prefeitura de Goiânia institui a cobrança de uma multa que pode chegar a R$ 26 mil para donos de lotes baldios propensos a ser criadouros do Aedes aegypti. O dono do loteamento deverá, além de pagar a multa que aparecerá no boleto de Imposto sobre a Propriedade Territorial Urbana (ITU), ficar responsável em arcar com as despesas a ser realizada pela Companhia de Urbanização do Município de Goiânia (Comurg).

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS), 623 multas já foram aplicadas desde o início da campanha em 25 de abril. De acordo com os dados, desde o começo do ano, foram mais de 900 multas aplicadas. A secretaria informou ainda que houve queda nas procuras nas unidades de saúde com sintomas de dengue, mas não informou números.

Entre os dias 25 de abril a 6 de maio foram realizadas 2254 visitas de fiscais,69 intimações e 42 remoções da Comurg. Ao todo 16.432 imóveis trabalhados, 1.176 de depósitos inspecionados e 1,22% de índice de focos.

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO), em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), por meio do programa Goiás de Resultados, intensificaram o combate ao mosquito.

O CBMGO trabalhará em conjunto com as prefeituras municipais, está vistoriando os pontos estratégicos de maior risco como marquises de quadras poliesportivas, borracharias, ferros-velhos e depósitos em geral que, com acúmulo de água das chuvas que são propensos para ser grandes criadouros de mosquito. O Comandante-Geral do CBMGO, Coronel Washington Luiz Vaz Junior, conta que é necessário apoio de toda a população para dar certo. “Os bombeiros de Goiás estão ajudando a eliminar um perigo quase invisível à população. Esperamos que todos façam sua parte, alistando-se na guerra contra o Aedes. Essa é uma questão de saúde pública que exige empenho e cuidado de todos”.

A SES-GO informou que está desenvolvendo ações voltadas à diminuição dos níveis de infestação do Aedes aegypti e prevenção dos casos de dengue, chikungunya e zika, causadas pelo mosquito desde 2021. Entre os procedimentos adotados, está a distribuição de 720 unidades de bombas costais motorizadas de uso individual pelo agente de saúde, com manutenção de outras 211 já existentes, todas em pleno funcionamento.

A SES-GO também fez a distribuição de 20 bombas ultra baixo volume (UBV) veiculares adquiridas em 2021 –  ano de retorno das visitas domiciliares pelos agentes de combate a endemias -, nas quais 18 Regionais de Saúde do Estado, além da Capital, receberam duas unidades. Foi feita a distribuição dos inseticidas às regionais, regularizando o abastecimento em todos os municípios. A pasta afirma que também realiza  monitoramento georreferenciado das visitas domiciliares e dos bloqueios de focos identificados.

 

Fonte: O Hoje

print