Cerca de 407 mil goianos vivem com menos de R$10 por dia

Com a chegada da frente em Goiás a preocupação está voltada para as pessoas que não têm condição de se abrigar.  Segundo dados da Central Única das Favelas Goiás (Cufa) 12.3% da população goiana está desempregada, o que representa 900 mil pessoas em Goiás.  Cerca de 407 mil pessoas estão abaixo da linha da pobreza, ou seja, vivem com até R$10 por dia. De acordo com a central, os dados se devem à pandemia e também pelo aumento da inflação. Não há ainda uma estimativa de pessoas em situação de rua no Estado, mas em Goiânia são cerca de 1.200 de acordo com o último censo.

O pedreiro Rodrigo Coutrim Ciqueira, 33, fez parte dessa estatística. Ele viveu mais de 7 anos na rua e sentiu na pele a luta que é ter que viver sem perspectiva, principalmente em tempos mais frios como agora. “Eu saí de casa aos 16 anos porque comecei a me envolver com drogas e não aguentava mais ver o sofrimento da minha mãe por isso. Então, fui de Goiânia até São Paulo a pé com mais dois amigos e apenas 25 gramas de maconha”, conta.

Rodrigo morou na Cracolândia em São Paulo e voltou pouco depois para Goiânia. Ele conseguiu sair do mundo das drogas após se casar e ter filhos. Atualmente ele é feliz por estar limpo a mais de 1 ano e meio. “Sempre fui muito trabalhador, agora sou pedreiro e conquistei a minha casa. Tenho orgulho de dizer que sustento a minha família com o meu trabalho”, conta o pai de três crianças.

Ele lembra do que ele passava na época em que Goiânia ficava mais fria. “Eu sofria, corria atrás de cobertura em todo lugar. Cheguei a dormir numa lata de lixo em Goiânia, eu enchia de papelão e dormia”.

Foto: Pedro Pinheiro

A Prefeitura de Goiânia está com ações voltadas para pessoas em situação de rua a fim de amenizar a situação do frio. Além do fornecimento de abrigo e agasalhos serão feitas ações para conseguir inserir novamente essas pessoas na sociedade. As ações tiveram início ainda na noite da última terça-feira (17) com a acomodação de pessoas no Mutirama, além da distribuição de cobertores no Cepal do Setor Sul e Casas de Acolhida. A Prefeitura ofereceu transporte, cobertores, agasalhos e refeições aos que foram atendidos no local.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Economia Criativa (Sedec), Michel Magul, explica o motivo de ter escolhido o mutirama para a ação. “O Mutirama tem um salão de eventos que era utilizado para a realização de festas infantis e eventos escolares. É um espaço que comporta bem as pessoas em situação de rua e que estava disponível para a realização desse acolhimento de forma emergencial”.

Na última terça-feira (17) 72 pessoas foram acolhidas e o secretário conta que algumas pessoas insistiram em permanecer nas ruas. “Para elas, a Prefeitura tem oferecido cobertores, alimentos, meias, agasalhos e kits de higiene bucal da mesma forma que é disponibilizado no abrigo provisório”. Essa ação específica se estenderá até o próximo domingo (22), mas Magul afirma que recebe pessoas em situação de rua de forma perene em duas casas de acolhida, no Setor Leste Universitário e em Campinas.

“Ao longo desses dias com frio mais intenso nós teremos carro para transportar as pessoas até Mutirama e três pontos para doação de alimentos e agasalhos, na Avenida Independência com a Rua 44, na Praça Joaquim Lúcio e no Setor Estrela Dalva. É uma ação pontual que demonstra o cuidado da Prefeitura com seus habitantes, principalmente os mais vulneráveis”, afirma.

Caso a pessoa resista e não queira receber ajuda ela será respeitada. “Nós respeitamos a liberdade dessas pessoas e entregamos os materiais que ela queira fazer uso, para reforçar o aquecimento e a alimentação durante o período de frio”, salienta o secretário da Sedec.

As pessoas em situação de rua podem ter a oportunidade de serem acolhidas a qualquer momento. “Qualquer pessoa pode procurar a Secretaria de Desenvolvimento Social ou as Casas de Acolhida e serão bem recebidos pelas nossas equipes de assistência social, que prestam auxílio na emissão de documentos pessoais, encaminhamento para cursos de qualificação profissional e reinserção na sociedade”.

As ações de acolhimento foram ampliadas ontem (18), devido à expectativa de que as temperaturas  chegassem a 4ºC na capital com a distribuição de kits com cobertores, água, pares de meia e alimentação. Também foi realizada na noite de ontem a acolhida de pessoas em situação de rua no Ginásio Rio Vermelho. Durante todo o processo, equipes do Consultório de Rua da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) prestaram atendimento de testagem ampliada para a Covid-19, vacinação, exames clínicos e odontológicos, consultas, cadastros e distribuição de kits de higiene bucal.

Já a Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) também realizou ontem (18) uma força-tarefa de entrega de cobertores em Goiânia e Aparecida de Goiânia com a entrega de alimentos, cobertores e benefícios à população vulnerável e em situação de rua.

A ação Aquecendo Vidas 2022 tem como meta alcançar todos os 246 municípios goianos. Realizada todos os anos, a Campanha Aquecendo Vidas já distribuiu mais de 130 mil cobertores desde 2019, além dos 70 mil adquiridos para este ano.

Fonte: O Hoje

print