Mãe luta há 2 anos na rede pública para conseguir cirurgia para filho com caroço no pescoço, em Goiânia

A Maria Aparecida, mãe do pequeno João Miguel, de três anos, denuncia que espera há dois anos por uma cirurgia para o menino em Goiânia. Segundo a mulher, o menino precisa retirar um caroço no pescoço.

“Ele reclama que está doendo a cabeça, reclama das costas porque ele deita todo virado. Ele baba muito e uma fonoaudióloga até já confirmou que ele está babando demais. Ele reclama de dor no peito e precisei até levar na UPA”, contou Maria.

 

 

Maria contou que o caroço surgiu como um inchaço, quando João Miguel tinha seis meses, e foi tratado como uma íngua. No entanto, com um ano o que era para ser uma íngua, cresceu para um caroço de dois centímetros.

Segundo a mãe, os médicos acreditaram que o caroço poderia ser um câncer, mas com a evolução do inchaço, que agora tem 16 cm, eles diagnosticaram que pode não ser grave.

“A gente vai ao hospital o médico joga para um lado, joga para o outro e fica esse descaso total. Para mim, os médicos chegam lá, olham para a criança e dizem ‘não é comigo’. Então é com quem?”, desabafou o pai João Pedro.

 

Em nota, o Hospital Estadual da Criança e do Adolescente (Hecad) informou que, João Miguel Alves Viana passou por consulta médica no dia 18 de maio com o cirurgião pediátrico Zacharias Calil e que sua cirurgia está autorizada e deve ser realizada em breve na unidade de saúde.

O Hecad anunciou que a cirurgia ainda não foi feita porque João Miguel está realizando todos os exames necessários para ser submetido com segurança ao procedimento.

João Miguel, de três anos, espera há dois anos por uma cirurgia em Goiânia, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

João Miguel, de três anos, espera há dois anos por uma cirurgia em Goiânia, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Espera angustiante

 

O sofrimento de Maria aumenta ao contar sobre outra cirurgia que João Miguel aguarda. Aos quatro meses de idade, os médicos constataram que a “moleira” do bebê havia fechado antes da hora e, por isso, o cérebro não tinha espaço para crescer.

O irmão gêmeo de João realizou a cirurgia em novembro do ano passado, o menino chegou a ser internado, mas não fez o procedimento por causa de um aparelho quebrado. A mãe contou à TV Anhanguera que o filho precisa fazer a cirurgia antes de completar quatro anos de idade.

Preocupada, a família falou que recorreu ao Ministério Público para que o procedimento fosse liberado, mas até o momento não conseguiu a vaga.

“Todo dia a gente pede a Deus que dê certo, porque é difícil para uma mãe ver o filho reclamando de dor e você não pode fazer nada”, desabafou.

 

Em uma corrida contra o tempo, a família está preocupada porque o menino completa quatro anos em julho.

“Se passar da idade, a cirurgia não é feita mais e eu vou ter que entrar com recurso. A criança pode ter alguma coisa na cabeça, pode não aprender, pode ter problema na fala”, lamentou o pai.

 

Fonte: Portal G1.

print