40% das brasileiras ainda não têm voto fixo e grupo pode definir eleições

De acordo com a pesquisa Genial/Quaest atualmente cerca de 40% das brasileiras ainda não têm voto fixo em um candidato à presidência da República nas eleições de 2022. Essa porcentagem feminina alega que “podem mudar de presidenciável caso algo aconteça”, podendo assim definir as eleições presidenciais.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (17), e detalham que 50% das mulheres pretendem votar no ex-presidente Lula, enquanto 22% têm intenção de voto no presidente Jair Bolsonaro, que disputa a reeleição. A respeito das preocupações das eleitoras, a pesquisa destaca como resultado a economia (43%), a saúde/pandemia (17%), as questões sociais (13%), a corrupção (9%) e a violência (8%).

Para 8% delas, outros fatores não listados são preocupantes e 2% não souberam responder ou não responderam. Ainda segundo o levantamento, 51% das mulheres consideram a gestão Bolsonaro negativa e 65% acham que o presidente errou mais do que acertou durante a pandemia do novo coronavírus.

Para 51% das entrevistadas, as chances de voto em um candidato que viesse a defender publicamente o direito ao aborto cairiam. Em abril, o pré-candidato do PT, Lula, defendeu o procedimento, afirmando que “[o aborto] deveria ser transformado em uma questão de saúde pública” e que todo mundo deveria ter direito e não vergonha.

A pesquisa quantitativa da Genial/Quaest foi realizada de 2 a 5 de junho com 2.000 mulheres. Dados como idade, escolaridade, renda familiar, religião e se as eleitoras recebem o benefício do Auxílio Brasil foram levados em consideração.

Fonte: O Hoje

print