Exército ucraniano culpa Rússia por ataque que matou prisioneiros de guerra

Os militares da Ucrânia negaram ter realizado um ataque a uma prisão em Donetsk, no leste do país, que o Ministério da Defesa da Rússia disse ter matado 40 prisioneiros de guerra ucranianos nesta sexta-feira (29), e atribuíram a culpa às forças russas.

“As forças armadas da Federação Russa realizaram bombardeios de artilharia contra uma instituição correcional no assentamento de Olenivka, Oblast de Donetsk, onde também estavam presos prisioneiros ucranianos”, disse o Estado-Maior das Forças Armadas ucranianas em comunicado.

“Dessa forma, os ocupantes russos perseguiram seus objetivos criminosos – acusar a Ucrânia de cometer ‘crimes de guerra’, bem como esconder a tortura de prisioneiros e execuções”.

A Rússia negou envolvimento em crimes de guerra no que chama de “operação militar especial” para proteger os falantes russos e erradicar nacionalistas perigosos. A Ucrânia diz que Moscou está travando uma guerra de conquista não provocada.

Rússia diz que 40 prisioneiros de guerra ucranianos foram mortos por mísseis da Ucrânia

O Ministério da Defesa da Rússia acusou, nesta sexta-feira (29), as forças ucranianas de matar 40 prisioneiros de guerra em um ataque no leste da Ucrânia, controlado por separatistas.

CNN não pôde verificar imediatamente as alegações, e os militares ucranianos disseram à CNN que não tinham informações sobre tal ataque.

“O centro de detenção de pré-julgamento na área do assentamento de Yelenovka (Olenivka), que contém prisioneiros de guerra militares ucranianos, incluindo militantes da formação Azov, foi atingido por um ataque de mísseis do sistema americano de foguetes de lançamento múltiplo HIMARS”.

O ministério afirmou que “40 prisioneiros de guerra ucranianos foram mortos e 75 ficaram feridos. Além disso, oito funcionários da ala de isolamento receberam ferimentos de gravidade variável”.

A prisão de Olenivka, perto de Donetsk, foi usada para abrigar muitos dos soldados ucranianos que se renderam na fábrica de Azovstal em Mariupol há vários meses.

O Ministério da Defesa russo reiterou as alegações feitas anteriormente por autoridades da autodeclarada República Popular de Donetsk, uma área controlada por separatistas no leste da Ucrânia.

“Foi um golpe direto no quartel dos prisioneiros. O resultado a partir de agora: 40 mortos, 130 feridos. Eles ainda estão limpando os escombros. Os números podem aumentar”, disse o vice-ministro da Informação da DPR, Daniil Beznosov, em um discurso no Telegram.

O Ministério da Defesa da Rússia afirmou que “esta provocação flagrante foi cometida para intimidar os militares ucranianos e impedir que fossem feitos prisioneiros”.

“As circunstâncias desta provocação estão sendo investigadas”.

A televisão estatal russa mostrou breves clipes de vídeo supostamente da cena, mostrando um prédio muito danificado com um grande buraco no telhado. A CNN não pôde verificar de forma independente a localização do vídeo.

 

Fonte: CNN Brasil.

print