Marconi confirma candidatura ao governo e revela metas para rodovias, saúde, educação, concursos e industrialização

Na conversa com os comunicadores André Brandão e Samuel Salles, no Podcast Go, o ex-governador Marconi Perillo (PSDB) confirmou mais uma vez que é candidato à sucessão do governador Ronaldo Caiado (UB). Ele também falou da necessidade de novos concursos para PM e Educação, duplicação de rodovias, criação de 3ª pista nas estradas e incentivos à industrialização e geração de empregos

Durante o bate papo, Marconi disse que foi lançado ao governo durante encontro do PSDB com a participação de mais de 5 mil filiados, dos quais 93% defenderam que representasse o partido na sucessão estadual. Ele ressaltou que pediu liberdade às lideranças e simpatizantes do partido para realizar conversas de maneira a ampliar o leque de alianças para garantir o sucesso de sua campanha.

Marconi não adiantou as conversas que tem feito, mas nos bastidores ocorrem intensas conversações com a federação partidária formada pelo PT, PC do B e PV, e também tratativas com o PSB, partido no qual está filiado o ex-governador José Eliton, e com o PDT, do ex-prefeito de Trindade George Moraes.

José Eliton participou da convenção do PSB no o Plaza Inn Augustus Hotel, no centro de Goiânia

 

No domingo o PSB fez convenção em Goiânia, apresentando os candidatos a deputado federal e estadual,  deixando em aberto o caminho para uma aliança com a coligação com PSDB e os partidos que apoiam a eleição do ex-presidente Lula. O PSB, aliás, também faz parte desta aliança, tendo o ex-governador Geraldo Alckmin sido confirmado pela convenção nacional dos socialistas como vice de Lula.

PT e PSDB marcaram as suas convenções para o dia 5, sexta-feira. A tendência é que a chapa seja formada por Marconi Perillo (PSDB), governador, o professor Wolmir Amado (PT), na vice e o ex-governador José Eliton ou o advogado Fernando Tibúrcio (irmão do ex-presidente da OAB Henrique Tibúrcio) como candidato ao Senado.

Industrialização

Segundo o ex-governador há muitas para resolver em Goiás, entre elas, destaca a questão da industrialização.

“O governo tirou muitos incentivos à industrialização em Goiás e isto diminuiu o ritmo do desenvolvimento.  Também precisamos dar condições para que as pessoas que tiveram suas empresas paralisadas com a-pandemia, para que possam retomar seus negócios e para isto é preciso que aja crédito barato para os pequenos e médio empresários”, frisa.

Saúde, Segurança, Educação

Segundo Marconi Perillo há um déficit de 6 mil policiais militares e 10 mil professores na rede estadual de Educação. Na área de Saúde, o ex-governador defende a retomada das cirurgias eletivas, e diz que é preciso avançar em convênios com a rede privada para acabar com a fila das cirurgias eletivas e também para tirar as pessoas que estão nas sendo colocadas em macas nos corredores dos hospitais públicos do Estado.

Rodovias e UEG

Na área de transporte, Marconi Perillo diz que pretende duplicar rodovias estaduais que necessitam deste benefício como Goiânia-Catalão e Trindade-São Luis dos Montes Belos. O tucano também falou da necessidade criar mais trechos de 3ª faixa nas GO´s, proporcionando mais segurança para o transporte de cargas e veículos leves, naqueles trechos onde aja necessidade de facilitar o fluxo da via.

“Também temos que fazer mais casas, retomar o cheque moradia,  o cheque reforma e ampliar as obras de saneamento básico. Peguei o governo com menos de 30% com esgoto, dexei com mais de 60% e precisamos avançar”, defende.

Finalizando, Marconi Perillo disse que pretende devolver à UEG (Universidade Estadual de Goiás) sua capacidade de investimento. “ Coloquei 2% do orçamento do Estado para a UEG, e o governador atual tirou estes 2% e a UEG quase fechou. A UEG é a universidade dos goianos, dos filhos dos trabalhadores. Temos também que ter um programa robusto de qualificação profissionais  para os jovens nas áreas de tecnologia para que possam ingressar no mundo digital”, frisa.

 

Fonte: Onze de Maio.

print