Corpo de detento que morreu em hospital de Formosa tinha marcas de espancamento

Episódio se mistura aos outros casos de mortes violentas e suspeitas ocorridas em unidades prisionais goianas

 

A crise no sistema prisional goiano não se resume às cinco mortes em uma semana e nem às duas fugas nos últimos dias.

Além das restrições durante a pandemia, são frequentes os relatos de agressões entre os próprios custodiados. E todos seriam provocados por policiais penais.

Ao menos duas mortes refletem a preocupação de familiares, entidades e de servidores do Estado, que temem que a violência possa provocar uma convulsão nos presídios goianos.

No dia 16 de junho, durante um banho de sol da Penitenciária Odenir Guimarães (POG), durante um tumulto no banho de sol, o detento Luiz Rodrigo Moreira da Silva foi morto com um tiro na cabeça. Fontes ouvidas pela seção Rápidas sustentam que o disparo foi feito da guarita pelo policial penal Victor Pereira Alves, que teria usado uma carabina. Antes, o policial penal Wilker Thales fez um disparo de 38 no meio da confusão.

A Comissão Pastoral Carcerária redigiu um documento em que denuncia o episódio à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) com cópia para l Tribunal de Justiça (TJGO) e Ministério Público.

Outro caso é do detento preso Paulo Henrique Câmara da Costa. A irmã do preso disse ao Portal 6 que no dia 20 de julho recebeu ligação do Hospital de Formosa informando sobre a morte do apenado.

“Disseram que ele morreu de causas naturais”, contou. Documentos obtidos pela seção Rápidas, no entanto, mostram que Paulo Henrique faleceu por “choque séptico, sepse foco abdominal, úlcera abdominal perfurada”.

“Quando a gente viu o corpo, vimos que ele estava todo machucado”. Fotos do corpo mostram hematomas nas mãos, orelhas e rosto. “A gente pediu para ele ser levado ao IML, que fica ao lado do hospital em Formosa, mas negaram. O que eles escondem?”, indaga a familiar.

A família de Paulo, que cumpria pena por roubo, pede que o corpo seja exumado, principalmente depois que um carta feita por um preso indica o que teria acontecido.

Nela é contado que Paulo teria passado mal e sido levado ao atendimento da unidade de Formosa. Quando retornou à cela, com o corpo todo molhado, o preso teria dito aos colegas que foi medicado com medicamento tarja preta e sido torturado por policiais penais.

“A gente precisa saber o que aconteceu. Ele cumpria pena, estava na responsabilidade do Estado”, lembra a irmã, que teme pela própria vida caso seja identificada.

A DGAP disse à seção Rápidas que apura a morte de Luiz Rodrigo Moreira e que não recebeu notificação formal do caso de Formosa.

 

Fonte: Portal 6

 

Veja fotos: FotosdoCorpoMachucado

 

Recebemos em nossa redação este texto:

Depois da morte no presídio estadual de formosa no 20/07 onde especulações indicam que o preso Paulo Henrique sofreu agressões causadas pelos policiais penais a população carcerária do presídio estadual de formosa está toda sendo transferida tudo indica que para o presídio de Anápolis/ Goiânia nesse dia 04/08/22

Pq que a mídia da Cidade não está falando sobre essa morte que ocorreu no presídio estadual de formosa? não é a primeira vez que tragédias como essa acontece lá, e nem será a última.

Saíram 6 ônibus do presídio essa manhã 04/08/22 no intuito de transferir os apenados

Por qual motivo os detentos estão sendo transferidos?

Será que estão querendo esconder algo?

As visitas que seriam realizadas hoje foram suspensas

As cartas não seram entregues para os familiares, que tipo de doutrina e lei ultrapassada e essa?

O presídio estão tratando os detentos e os familiares de uma maneira inaceitável dentro da lei, o abuso de poder está cada vez mais absurdo

Não é a primeira vez que à tortura no presídio, os familiares pedem socorro, os presos não conseguem si quer pedir ajuda para os advogados pois até eles são impedidos de cumprir o seu papel

NEGLIGENCIA, TORTURA, MORTE, TRANSFERÊNCIA SEM MOTIVOS APARENTES, IMPEDIMENTO DE COMUNICAÇÃO COM A FAMÍLIA POR MEIO DE CARTAS APÓS A MORTE, MAUS TRATOS E ABUSO COM OS FAMILIARES NA HORA DA VISITA, CANCELAMENTO DE VISITA NA HODA DA VISITA. é assim mesmo que tem que ser?

PQ NINGUÉM ESTÁ FALANDO SOBRE ISSO?

Pq não anunciaram na radia a morte e a causa da morte do P.H na prisão

A ressocialização dos presos nos presídios está acontecendo ou lá virou apenas um lugar de tortura e punição ?

print