Adolescentes atropelados por causa de camisa de time relembram crime em audiência

Os adolescentes que foram atropelados por torcedores do Vila Nova por usarem camisas de time rival foram ouvidos pelo juiz Jesseir Coelho durante audiência realizada na quarta-feira (3), em Goiânia. O atropelamento dos dois jovens aconteceu no dia 11 de abril de 2021. Na época, nove pessoas foram presas por participação no crime.

A denúncia foi recebida pelo Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) no dia 8 de outubro do ano passado. Segundo o TJ, a audiência era de instrução e julgamento, ou seja, os envolvidos no caso são ouvidos, mas não há decisão judicial por enquanto. Os torcedores do Vila foram denunciados por tentativa de homicídio.

A investigação constatou ainda que antes do atropelamento, os torcedores abordaram uma adolescente e a obrigaram a tirar a roupa em via pública.

Além dos três adolescentes, 10 testemunhas de defesa dos 14 acusados e o delegado Wesley Silva, da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), foram ouvidos em audiência.

Atropelamento por causa de time

Após um jogo entre Goiás e Vila Nova, a adolescente e um amigo de 17 anos, que usava a camisa do Goiás, conversavam na calçada próximo as residências onde moravam, no Setor Jardim Novo Mundo, quando um carro parou ao lado deles e um homem pediu para que o rapaz tirasse a camisa do time.

Os jovens ficaram sem reação e foram atingidos por outro veículo, que subiu na calçada propositalmente. O caso foi registrado em vídeo por câmeras de segurança de casas vizinhas.

A família da adolescente afirmou que ela não torce para nenhum time e que o rapaz não participa de torcida organizada. A garota sofreu ferimentos graves na cabeça e precisou ficar internada no Hospital de Urgências de Goiás (Hugo) por cinco dias. Já o torcedor do Goiás sofreu ferimentos leves, recebeu atendimento e alta médica horas após o ocorrido.

 

*Jeice Oliveira compõe programa de estágio do Mais Goiás sob supervisão de Hugo Oliveira 

print