Uncategorized

OPERAÇÃO FAUDA

Cumprimento de 10 (dez) Medidas Cautelares, sendo:
04 (quatro) Mandados de Prisão
05 (cinco) Buscas Domiciliares
01 (uma) Busca e Apreensão de Menor (Internação)

A Polícia Civil do Estado de Goiás, através do GIH-Planaltina, com apoio de policiais da 11ª DRP e do GT3, deflagrou na manhã do dia 30/05/2023 a Operação “Fauda” (termo árabe que significa “caos”), que investigou o homicídio de CARLOS FELIPE DE ARAÚJO SANTANA (vulgo “FELIPINHO”), ocorrido na madrugada do dia 23/04/2023, na região central de Planaltina, próximo a uma conveniência. Conforme fora apurado durante as investigações, um grupo composto por quatro jovens iniciaram uma confusão na conveniência, decorrente de conflitos anteriores. Em dado momento, o grupo saiu em um veículo preto e retornou na companhia de um menor, que portava consigo arma de fogo. Os rapazes, juntamente com o infrator, reiniciaram a briga tendo o menor efetuado diversos disparos contra ‘FELIPINHO’, que veio a óbito no local. Após os tiros, todos se evadiram no veículo sedã preto. A equipe de investigação do GIH diligentemente, apurou as circunstâncias do crime e a autoria. Com base nos elementos investigativos, se verificou a participação de cinco pessoas, sendo quatro maiores e um menor. Entre os maiores, três eram militares (recrutas do Exército Brasileiro). Após as diligências, oitivas e ações de inteligência a autoridade policial representou pela concessão de medidas cautelares de buscas e de prisões preventivas, junto a 1ª Vara Criminal de Planaltina, e pela concessão de busca e apreensão do menor, junto a Vara da Infância e Juventude. Na manhã de hoje, foram executadas todas as medidas cautelares deferidas. Ao todo participaram da operação cerca de 30 policiais civis. Os investigados serão indiciados pelos crimes de homicídio qualificado e corrupção de menores, e o menor infrator será autuado no ato infracional equiparado ao crime de homicídio qualificado. Na operação policial cinco pessoas tiveram suas liberdades tolhidas. O menor fora encaminhado ao Sistema Sócio-Educativo, o cidadão civil fora encaminhado à cadeia pública e os militares foram encaminhados ao Exército Brasileiro, onde permanecerão presos, à disposição do juízo competente.

Fonte/Reprodução: Polícia Civil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *