ClimaTragédia

Quem são as vítimas mortas por consequência das fortes chuvas em SC

Quatro pessoas perderam a vida no estado durante as enchentes de outubro.

Ao menos quatro mortes por consequência das chuvas que castigam Santa Catarina em outubro foram confirmadas até a tarde de domingo (15). Elas ocorreram entre os dias 4 e 14 deste mês em cidades do Vale do Itajaí, região que mais sofre com as enchentes, e da Serra.

A primeira morte foi a de Paulo Torinelli, 65 anos. Ele era natural de Rio do Oeste e atuava como agricultor. Morreu ao tentar passar de bicicleta por uma área rural alagada em 4 de outubro. Ele deixou esposa, uma filha e um neto.

“Gostava de trabalhar, arrumar ao redor de casa e gostava de tomar sua cachacinha no final do dia”, escreveram familiares ao comunicar o falecimento.

A segunda morte na região ocorreu 10 dias depois. Natural de Tubarão, no Sul do estado, Olívia Becker Berto, 75 anos, morava em Rio do Sul há décadas, segundo uma amiga.

Ela havia saído de casa na quarta-feira (11), para se refugiar em uma região mais alta da cidade depois que a residência teve o primeiro andar inundado. No sábado (14), resolveu retornar de canoa para a moradia, com o marido.

Ao tentar entrar pela sacada, no entanto, se desequilibrou, caiu na água e morreu afogada. Ela deixou marido e dois filhos.

“Vá em paz, minha querida. Ficarão apenas boas lembranças e a saudade”, escreveu a amiga.

Serra catarinense

Rodrigo José de Farias, de 42 anos, é a segunda vítima a morrer no estado. Ele se afogou ao tentar passar de carro por uma área alagada em Palmeira, no dia 7.

O veículo em que ele estava, um Fiat Strada, foi encontrado submerso, apenas com a parte traseira para fora da água. O trecho rural chegou a ser interditado posteriormente pela prefeitura local e a Defesa Civil.

“Às vezes, a vida não é justa. Ainda não consigo acreditar que você se foi. Hoje, meu coração está de luto. O mundo perdeu uma pessoa muito especial e eu perdi um parente muito querido”, escreveu uma prima nas redes sociais.

O último óbito confirmado pelo estado foi o de Maicon Moraes Agostinho, 29 anos. A vítima arrastada pela correnteza e ficou desaparecida por uma semana, desde o dia 7, quando tentou atravessar a cavalo uma ponte submersa pela água em Campo Belo do Sul.

O corpo foi encontrado por moradores da localidade no final da tarde de sábado (14), a quatro quilômetros do local em que havia sumido, segundo Fabio Ribeiro, comandante do Corpo de Bombeiros Voluntários da cidade.

“A minha esperança era que você estivesse bem, e vivo, mas infelizmente não foi do jeito que eu esperava”, publicou uma amiga nas internet.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *