Política

Brizolistas buscam recriar PTB após era Roberto Jefferson

Grupo busca assinaturas para colocar o partido de volta no cenário político

O antigo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), estabelecido em 1945 por Getúlio Vargas, teve seu encerramento oficial no último mês de novembro, quando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou a formação de uma nova agremiação: o Partido Renovação Democrática (PRD), resultado da fusão do PTB com o Patriota.

Contudo, a antiga legenda, afastada há tempos de suas raízes trabalhistas e recentemente alinhada a políticos de posicionamento mais à direita, poderá ver seu legado ser resgatado por figuras que se conectam a outra personalidade histórica do partido: Leonel Brizola, ex-governador do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro.

“É uma emoção muito significativa poder resgatar a história de Brizola e de todos os trabalhistas do Brasil, e poder retomar seus ideais na política”, afirma Vivaldo Barbosa, ex-deputado federal, responsável pela possível ressurreição do PTB.

O primeiro passo rumo ao retorno da sigla foi dado em 1° de dezembro, quando o TSE autorizou os brizolistas a coletarem assinaturas após o registro da pessoa jurídica em cartório. Será necessário angariar 500 mil assinaturas em dois anos para recriar o PTB.

Enquanto o PRD, resultante da fusão do antigo PTB com o Patriota, já está devidamente registrado no TSE, o embrião do novo Partido Trabalhista Brasileiro também figura nas páginas do Tribunal como partido em formação.

Herdeiros do legado de Brizola

Barbosa já conta com o apoio de dois membros da família Brizola: João Leonel Brizola Sobrinho e Leonel Brizola Neto. Ele afirma que as eleições municipais de 2024 serão cruciais para coletar assinaturas, apoiar prefeitos e vereadores, fortalecendo assim a sigla.

Os netos de Leonel Brizola, Carlos Daudt Brizola (ex-ministro do Trabalho do governo Dilma) e Juliana Brizola (deputada estadual no Rio Grande do Sul), que fazem parte do PDT, demonstram apoio ao novo PTB, sendo Leonel Brizola Neto já membro do partido.

Vivaldo relata que, após ter feito campanha para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em 2022, o PTB está naturalmente vinculado à base do governo. Leonel Brizola Neto também assegura que o partido estará alinhado ao governo Lula, mesmo que haja divergências entre as pautas dos partidos.

O ex-PTB

O antigo PTB, agora transformado no PRD pela fusão com o Patriota, era liderado por Roberto Jefferson. Durante a negociação da fusão entre os dois partidos, foi solicitado que Jefferson — presidente de honra do PTB à época —, sua filha Cristiane Brasil e o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, não fizessem parte da nova legenda.

Nos anos anteriores, o partido já enfrentava desavenças internas, incluindo a retirada e o retorno de Jefferson ao comando do antigo PTB. As aprovações internas para a fusão ocorreram três dias após Jefferson ter disparado com um fuzil contra policiais federais que cumpriram uma ordem de prisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Fonte: Jornal Opção

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *