Goiás

Foco do Governo é tornar Goiás principal polo de IA da América Latina, projeta secretário

Caminho sem volta em todo o mundo, o governo de Goiás está investindo na preparação do Estado para a era das inteligências artificiais (IA) e quer se tornar referência na América Latina, capacitando jovens em idade escolar para o uso da tecnologia no mercado de trabalho e também internamente em processos administrativos, como na fiscalização de contratos.

Em entrevista exclusiva ao Mais Goiás, o secretário de Ciência, Inovação e Tecnologia, José Frederico Lyra Netto, destacou os principais eixos dessa estratégia. Há também a busca por melhorias de processos em diversas pastas. Na Saúde, por exemplo, como minimizar e prever os danos provocados por uma epidemia de dengue que volta e meia assola os municípios goianos?

“A gente quer mostrar que Goiás está preparado para isso. Estamos preparando o Estado para a era da inteligência artificial. Temos alguns caminhos para isso. Primeiro, o de formação de pessoas e capital humano para a tecnologia. Temos as Escolas do Futuro, que são escolas técnicas e formam jovens, inclusive de baixa renda em tecnologias e aprendizagens de máquinas que usam IAs como componentes”, destaca Lyra Netto.

Na Educação, Netto pontua esforços do governo em capacitar estudantes já adolescência. “Estamos preparando a base, a formação. Queremos desde o ínicio na idade escolar formá-las para a tecnologia. É mais fácil fazer isso nessa etapa do que mais tarde. Na Ciência e Tecnologia, temos duas iniciativas: a primeira é uma série de laboratórios chamado de Start – literalmente, o ínicio à robótica e à tecnologia, focada em crianças de baixa renda que terão a sua primeira experiência com as tecnologias”, pontua. 

“Mais à frente temos as Escolas do Futuro – que são as escolas tecnológicas, focadas em cursos técnicos e são escolas de última geração. Cada escola tem R$ 7 milhões só em laboratórios. São computadores que rodam programas pesados e que requerem capacidade de processamento. Estamos fazendo parcerias com as escolas de Ensino Médio para formar e fazer todo um passo a passo”, reforça.

Confira alguns trechos da entrevista com o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Goiás, José Frederico Lyra Netto:

Mais Goiás: Como o Governo de Goiás tem se preparado para a Era das Inteligências Artificiais?

José Frederico Lyra Netto: Estamos preparando o Estado para a Era da Inteligência Artificial e temos alguns caminhos para isso: formação de pessoas e uso da tecnologia.  Estamos investindo em programas de capacitação, como as Escolas do Futuro. No segundo eixo, estamos trabalhando para usar a IA em diversos setores, como saúde, educação, administração e segurança pública. A gente quer mostrar que Goiás está preparado para isso. Estamos preparando o Estado para a Era da Inteligência Artificial.

Mais Goiás: Como o Governo se prepara para melhorar os processos com IA?

José Frederico Lyra Netto: Estamos trabalhando com startups, empresas inovadoras e instituições de ciência e tecnologia para desenvolver soluções que usem IA para melhorar a eficiência dos processos. Por exemplo, estamos desenvolvendo uma solução para usar IA na Secretaria de Administração fiscalizando contratos. Qual o nosso sonho e missão? É construir em Goiás o principal polo de Inteligência Artificial da América Latina. Estamos caminhando para isso. Temos experiências bem sucedidas no Centro de Excelência em IA, ligado a Universidade Federal de Goiás e apoiada financeiramente pelo Governo que é referência internacional. Vamos construir um grande polo.

Mais Goiás: Como o Governo está se preparando para formar os jovens ao mercado de trabalho onde as IA’s serão comuns?

José Frederico Lyra Netto: Estamos preparando a base, a formação. Queremos desde o início na idade escolar formá-las para a tecnologia. Na Ciência e Tecnologia, temos duas iniciativas: a primeira é uma série de laboratórios chamado de Start – literalmente, o ínicio à robótica e a tecnologia, focada em crianças de baixa renda que terão a sua primeira experiência com as tecnologias. Mais à frente temos as Escolas do Futuro – que são as escolas tecnológicas, focadas em cursos técnicos e são escolas de última geração. Cada escola tem 7 milhões de reais só em laboratórios. São computadores que rodam programas pesados e que requerem capacidade de processamento. Estamos fazendo parcerias com as escolas de ensino médio para formar e fazer todo um passo a passo.

Mais Goiás: Alguns tem uma visão apocalíptica sobre o assunto. Qual sua avaliação sobre o futuro do mercado de trabalho cheio de IA’s?

José Frederico Lyra Netto: Acho que é importante ter cuidado com a tecnologia, mas não devemos ter uma visão apocalíptica. A IA pode ser uma tecnologia muito positiva, que pode aumentar a produtividade, gerar riqueza e promover inclusão social. Precisamos nos preparar para o futuro do mercado de trabalho, mas também precisamos garantir que a IA seja usada de forma responsável e ética.

Mais Goiás: O Governo estuda alguma forma de regulação?

José Frederico Lyra Netto: Ainda não há uma determinação, mas estamos estudando o que seria uma regulação eficiente. Queremos garantir que a IA seja usada de forma responsável e ética, mas também não queremos criar uma regulação que iniba a inovação.

Fonte: Mais Goiás

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *