Política

Governo oferece 0% de reajuste salarial aos servidores públicos federais

O governo federal ofereceu aumento em benefícios dos servidores públicos do Executivo federal, como o auxílio-alimentação, mas deixou de fora o reajuste salarial. A proposta ocorreu na última reunião da Mesa Nacional de Negociação Permanente (MNNP), nesta tarde de segunda-feira (18).

A informação foi confirmada pelo secretário de Relações de Trabalho do Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI), José Lopez Feijóo. Representantes do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg-Sindicato) e do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação do Estado de Goiás (Sint-Ifesgo) estiveram presentes, bem como de outras entidades.

Em relação aos benefícios, foram ofertadas as seguintes propostas: R$ 342 (51,9%) no vale alimentação; R$ 215 no subsídio per capita saúde suplementar; e de R$ 484 no auxílio-creche. A ideia, segundo o secretário, é que os reajustes nos benefícios sejam aplicados a partir de 2024.

Para os servidores públicos aposentados, apenas o reajuste no subsídio de saúde complementar pode contemplá-los, uma vez que eles não contam com vale alimentação. Segundo o Adufg-Sindicato, o secretário do MGI afirmou, durante a reunião, que o compromisso do governo federal é “conseguir para 2025 e 2026 os mesmos índices concedidos pelo Judiciário”.

Considerando as previsões atuais de inflação, a categoria dos docentes, por exemplo, deve chegar a janeiro de 2024 com 35% de defasagem.

Paralisação em 2024

A categoria de servidores dos trabalhadores técnico-administrativos da Educação em Goiás aprovou, na última quarta-feira (13), em Goiânia, indicativo de greve para o primeiro trimestre de 2024, caso o governo federal não atendesse às reivindicações do segmento de reajuste salarial, o que ocorreu nesta segunda. A informação é do Sint-Ifesgo.

Fonte: Mais Goiás

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *