AcidenteGoiás

Noivo viu quando funcionária pública morreu atropelada após socorrer vítima de outro acidente: ‘Sem chão’

O noivo da funcionária pública Lívia Porto, de 41 anos, que morreu atropelada por um caminhão ao tentar socorrer uma vítima de outro acidente, na GO-060, contou que viu toda a situação. O agrimensor Lucas Santa Cruz afirmou que eles estavam indo de Goiânia para São Luís de Montes Belos, onde visitariam amigos.

“Estou sem chão, arrasado, tentando encontrar uma justificativa”, lamentou o noivo.

O caso aconteceu no sábado (13). De acordo com a Polícia Militar, o motorista do caminhão fez o teste do bafômetro, que deu negativo. O capitão Leomar Fernandes, subcomandante do 2º Batalhão de Polícia Militar Rodoviária, acrescentou que o condutor estava com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida.

Lucas Santa Cruz afirmou que, no momento do atropelamento, Lívia tinha voltado para o local do outro acidente para entregar uma placa ao namorado da mulher envolvida. Enquanto isso, ele esperou no carro para seguir viagem. Então, quando ela estava voltando, foi atingida pelo caminhão.

“Começamos a pedir socorro, outros carros foram parando. A filha dela estava comigo e tentei tirar ela do local para não ver aquela cena”, contou.

Lívia Porto nasceu em Goiânia e era formada em Turismo. Ao g1, o companheiro explicou que ela trabalhava na rede municipal de Educação da capital e também tinha um ateliê onde produzia papelaria personalizada. Ele ainda contou que ela era uma mulher querida e de muita fé.

“Ela era uma mãe espetacular, uma filha exemplar que todos os pais queriam ter”, contou.

Atropelada ao tentar socorrer vítimas

O acidente aconteceu enquanto Lívia, a filha de 15 anos e o namorado, Lucas, iam visitar amigos em São Luís de Montes Belos. Ao g1, o capitão Leomar Fernandes explicou a dinâmica do caso. Ele detalhou que, inicialmente, houve um primeiro acidente que envolveu um carro que perdeu o controle e saiu da pista. Em seguida, veio a caminhonete de Lívia e Lucas, que parou no acostamento para prestar socorro.

“Foi acionado o Samu de  Firminópolis  e, quando chegou ao local, o próprio Samu sinalizou a rodovia e fez o atendimento à condutora”, explicou Leomar.

No entanto, a PM contou que quando a condutora, que teve escoriações, foi colocada na ambulância para ser levada ao hospital, as equipes do Samu retiraram os cones para fazer a manobra na pista e ir à unidade de saúde.

“Quando fez isso, veio um caminhão de leite vazio e vendo a ambulância atravessada transversal à rodovia, ele tirou e invadiu a contramão para não bater com a ambulância. Invadiu o acostamento do lado contrário da sua pista e foi quando ele atropelou a senhora Lívia”, detalhou o capitão.

O policial explicou que Lívia morreu no local. Ao g1, Lucas ainda denunciou que o companheiro da vítima do primeiro acidente não prestou socorro à Lívia. Como o nome dele e da mulher ferida não foram divulgados, o g1 não conseguiu um posicionamento deles até a última atualização desta reportagem.

FONTE:G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *